Pedro Oliveira


Águas poluídas do açude Itarandi

A falta de uma estação para tratamento de esgoto sanitário e de água pluvial tem contribuindo para a poluição do açude Itarandi que recebe as águas fétidas e contaminadas provenientes das residências e hospitais de Conceição do Coité.

Quando chove, os dejetos acumulados no tanque do Governo o “Piscinão” da cidade, percorre por um riacho até o açude, deixando um rastro devastador no caminho percorrido pelas águas infectadas gerando espuma, o que demonstra a gravidade do quadro. Há seis anos, o manancial sofreu uma grande tragédia ambiental, matando toneladas de peixes causados pela presença de diversas substancias tóxicas prejudiciais ao ser humano e aos organismos aquáticos.

Se depender das promessas feitas pelo prefeito petista Francisco de Assis, para conter o agravamento da poluição das águas e das margens do açude, tudo vai continuar como antes, colocando em risco a saúde da população local e regional que consome as hortaliças produzidas às margens do lago, como alface, couve, coentro, cebolinha verde entre outros, vendidos livremente na feira livre do Centro de Abastecimento da cidade, sem nenhuma fiscalização por parte dos órgãos competentes.

Em 2013, o INEMA – Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos divulgou um laudo que aponta em três pontos de amostragem, a presença de alto teor de substancias cancerígenas, atestando a inviabilidade no uso da água, com risco eminente de danos a saúde.  Na época, o Ministério Público chegou a proibir a utilização da mesma, por conta da existência de cargas orgânicas, como coliformes fecais, entre outros poluentes, numa extensão de quase 4 quilômetros de lamina d’água, quando cheio.

Na ocasião a engenheira ambiental Juliana Boaventura, disse que a causa principal da degradação da qualidade das águas do açude é o lançamento de efluentes domésticos, provocando a inviabilidade da mesma para o consumo humano e irrigação de hortaliças, o que continua acontecendo, por conta da omissão dos órgãos competentes. O açude que se encontra com suas águas esverdeadas, foi contaminado pela primeira vez, na década de 90, quando os esgotos da cidade passaram a serem despejados na represa.

Vereador cobra revitalização do manancial

Durante uma Audiência Pública em agosto de 2013, no açude Itarandi, para discutir a poluição da água e do solo do manancial, o prefeito Francisco de Assis (PT), disse que não dava para ficar fantasiando e relatou que construir poços artesianos na área, não resolveria o problema porque o solo já estava poluído. O mesmo seria continuar levando água da Embasa, para molhar as hortaliças o que fez por duas semanas.

“Ele comentou ainda, que o laudo apresentado pelo INEMA em seu poder mostrava que a situação teria chegado ao limite e que não iria brincar de fazer politicagem com coisa séria e o animal que bebesse da água e o ser humano que ingerisse sua carne, correria o risco de morrer e que o problema iria demorar muito tempo para ser solucionado.” Concluindo o petista frisou que em 2005, época que foi vereador, a Câmara aprovou um Projeto de Lei que proibia o cultivo de hortaliças as margens do lago, o que continua até o momento em seu governo.

No mês passado, o vereador e presidente da Casa da Cidadania, Ernandes de Tó, fez uma indicação ao governo municipal e estadual, durante a realização da sessão, cobrando a revitalização do açude Itarandi, considerando a importância de sua preservação para o meio ambiente, para a agricultura de subsistência da comunidade e para capitação de água para os animais, principalmente no período de seca. “Infelizmente o tempo vai passando e cada vez mais o açude vai sendo poluindo. Por muito tempo, políticos em geral fizeram promessas visando sua revitalização, mas continua na promessa”, comenta o vereador.

Em resposta ao Oficio de n°. 26 recebido da presidência da Câmara de Vereadores de Conceição do Coité, o governador Rui Costa informou que encaminhou a indicação através do Processo SEI n°. 001.10302.2019.0001129-01 a Secretaria de Infraestrutura Hídrica e Saneamento.

O Chefe do Executivo Estadual comentou ainda, que oportunamente estará informando os desdobramentos da demanda em questão. Enquanto o governo do estado demonstra preocupação com a poluição do açude Itarandi, o prefeito Francisco de Assis silencia sobre a gravidade do problema.  

Com aproximação do pleito eleitoral de 2020, no mês passado, a administração municipal, convocou a população para debater mais uma vez, o Plano de Saneamento Básico da cidade, que nunca sai das promessas e muito menos do papel.

Colunas anteriores
Ver mais notícias desta seção: mais recentes · mais antigas