Doris Pinheiro

Quanto mais eu vivo sinto que menos sei da vida, acho que porque a gente vai compreendendo que viver é mais complexo e imenso do que a gente supõe quando é mais jovem.

Ao mesmo tempo a vida vai ficando mais simples porque a gente vai deixando para lá o que passa a considerar menos importante. Talvez isso seja aprender a viver.

E aprender a viver requer que a gente aprenda também sobre a morte.

Não só a nossa própria, mas sobre a dolorosa partida dos que amamos.

Hoje eu perdi uma amiga.

Uma daquelas que estão na conta dos dedos da mão. Uma daquelas de quem você ouve na cabeça os conselhos, mesmo que ela não tenha dado a você aquele conselho que você está escutando. Uma daquelas que é um dos seus pilares internos de afeto, amor, amizade de verdade.

Uma daquelas pessoas lindas e raras, que você ama e admira, para sempre...

Assim é Ivone. Minha amiga.

Quando penso nela penso em um campo de flores amarelas, brancas, batidas sob o sol.

Penso em sua família linda.

Penso que ela é vida,  luz,  força,  alegria, coração,  amor, coragem, uma maneira inteligente e sábia de olhar para a vida.  

Não acredito que alguém seja substituível. Acho que todas as pessoas são insubstituíveis. Mas há algumas que são absolutamente insubstituíveis.

Assim é Ivone. Minha amiga.

Então, para ela oferto um texto que foi lido pelo meu cunhado João para falar sobre minha mãe, quando ela,  absolutamente insubstituível, nos deixou deste mundo. É de Santo Agostinho, um cara muito interessante.

Santo Agostinho

A morte não é nada. 
Eu somente passei 
para o outro lado do Caminho.

Eu sou eu, vocês são vocês.
O que eu era para vocês, 
eu continuarei sendo.

Me deem o nome 
que vocês sempre me deram, 
falem comigo 
como vocês sempre fizeram.

Vocês continuam vivendo 
no mundo das criaturas, 
eu estou vivendo 
no mundo do Criador.

Não utilizem um tom solene 
ou triste, continuem a rir 
daquilo que nos fazia rir juntos.

Rezem, sorriam, pensem em mim.
Rezem por mim.

Que meu nome seja pronunciado
como sempre foi, 
sem ênfase de nenhum tipo.
Sem nenhum traço de sombra
ou tristeza.

A vida significa tudo 
o que ela sempre significou, 
o fio não foi cortado.
Porque eu estaria fora 
de seus pensamentos,
agora que estou apenas fora 
de suas vistas?

Eu não estou longe, 
apenas estou 
do outro lado do Caminho...

Você que aí ficou, siga em frente,
a vida continua, linda e bela
como sempre foi.

Não sei mais o que dizer, a não ser muito obrigada minha querida amiga. Você vai fazer uma falta imensa e estará sempre no meu coração.

 

Colunas anteriores
Ver mais notícias desta seção: mais recentes · mais antigas