Alberto Oliveira

Ilustração: Pixabay/Creative Commons

São 62 milhões de inadimplentes no país, um bom negócio para as empresas que prometem limpar o nome de consumidores, recuperar o crédito no mercado e retirar seus CPFs das listas de negativados.

Um levantamento do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que a quantidade de pessoas que afirmaram já ter contratado essas empresas aumentou 16 pontos percentuais este ano (25%) em comparação com 2017 (9%).

O valor pago para limpar o nome foi, em média, de R$ 375,21, sendo que 45% pagaram um valor antecipado fixo e 37% um valor antecipado com percentual sobre o valor da dívida.

Mas é preciso cuidado.

“É importante ter cautela quando são oferecidos descontos, prazos e condições de pagamento fora da realidade do mercado. Não existe fórmula mágica da mesma forma como não dá para limpar o nome sem pagar a dívida”, alerta o educador financeiro José Vifnoli.

***

Voando para fora do País

As vendas de passagens aéreas internacionais cresceram 27% entre janeiro e março deste ano, quando comparadas com o primeiro trimestre de 2017. 

O motivo do crescimento, na visão de Gustavo Mariotto, diretor de marketing do ViajaNet, está ligado à retomada do crescimento e da atividade econômica no Brasil.

“Conforme o País vive um reaquecimento da economia, os brasileiros ficam mais seguros em planejar viagens internacionais, além também de ampliar o volume de deslocamentos por motivo de negócios”, explica Mariotto.  

***

Para onde os brasileiros vão

Os Estados Unidos são os destinos mais procurados pelos brasileiros este ano.

Quatro cidades norte-americanas estão no topo da lista de preferência.

Em primeiro lugar, aparece Orlando, seguido por Miami, Nova Iorque e Los Angeles.

***

Sem necessidade

Dados da Associação Brasileira da Indústria de Suplementos para Fins Especiais e Congêneres (Abiad) revelam que 54% dos lares do país possuem ao menos uma pessoa que consome suplementos alimentares.

Os especialistas alertam que nem todo mundo precisa deles.

“O alimento é a matéria prima da qual o indivíduo irá extrair energia e nutrientes para assegurar sua saúde e seu desempenho físico. Existem situações nas quais só o alimento não consegue garantir essa oferta. Para esses casos, é que o suplemento alimentar pode ajudar a suprir o déficit. Mas se usado inadequadamente, pode causar problemas”, explica o nutricionista da Rede Alpha Fitness, Thomas Araújo.

***

Elas querem casa

As mulheres são a maioria na busca de imóveis para compra e aluguel no Brasil, aponta uma pesquisa realizada pelo Viva Real, empresa do setor imobiliário.

O levantamento mostra que a compra de imóveis atrai pessoas com idade mediana de 43 anos e em sua maioria casados (58%).

Os imóveis para locação atraem pessoas mais jovens com idade mediana de 35 anos, e solteiras (40%).

Colunas anteriores
Ver mais notícias desta seção: mais recentes · mais antigas