Carnaval / Cidade

Micro e nanotrios animam Carnaval no Circuito Batatinha

Foto: Mateus Pereira/GOVBA
Carnaval
Repertório dos microtrios reconstroi os antigos carnavais

No Carnaval 2020, o trio elétrico comemora 70 anos. Nos Circuitos Dodô (Barra/ Ondina) e Osmar (Campo Grande) eles desfilam imponentes, com estruturas arrojadas. Já no Circuito Batatinha (Pelourinho), são as versões reduzidas que se destacam em meio a festa. Os microtrios contam com a força de pequenos motores e os nanotrios dependem ser puxados para desfilarem. Na tarde de hoje (24), eles fizeram a festa do folião na programação do Terreiro de Jesus.

O desfile dos trios de pequeno porte é coordenado pelo Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI). “Nós trouxemos essa possibilidade. O público fica mais perto, brinca e canta junto. A relação é outra e deu muito certo. Esse ano nós estamos com seis microtrios e quatro nanotrios”, destacou a coordenadora do CCPI, Thelma Chase.

O nanotrio Pelô Bossa Reggae abriu a programação acompanhado do grupo de percussão Banda Estilo Candeal. “A gente resolveu fazer um trio de pequeno porte, sustentável que possa trazer a família”, explicou o produtor cultural  Marcos Maia. Esse é 3º ano do projeto que mistura ritmos diversos ao repertório, indo das marchinhas tradicionais aos sucessos do momento.

O microtrio Ivan Huol desfilou em seguida com tema 'Em Águas'. “A gente quer falar do ambiente da água, dos crimes ambientais, rios poluídos”, declarou o músico Ivan Huol, que se apresentou com um banda formada por mais dois músicos. "Essa  é uma retomada da ideia original de Dodô e Osmar. Hoje existem Os megatrios, os grandes, os pequenos, os micro e os nanotrios”, completou Huol.

O advogado Fábio Vila Flor levou a esposa, os filhos, sobrinhos e familiares para aproveitar o carnaval do Pelourinho e participou do desfile do nanotrio Pelô Bossa Nova. “Espero que sempre tenha esse projeto. É bom para trazer nossas famílias longe da confusão do trios”,  afirmou.