Cidade

Taxista passa com o pneu do carro por cima de tornozelo de fotógrafo

Caso aconteceu nas imediações da Avenida Caminho de Areia, na Cidade Baixa

Lucas Sato, 30 anos, fotógrafo, afirma que um taxista passou com o pneu do carro por cima do seu tornozelo, nas imediações da Avenida Caminho de Areia, na Cidade Baixa. O caso, que aconteceu no final da manhã desta terça-feira, 14, o deixou psicologicamente abalado. Na batida, o fotógrafo também teve o cotolevo atingido pelo retrovisor do automóvel.

"Eu estava na Rua Celeste e iria atravessar a pista. Havia um carro parado que estava estacionado no passeio, do outro lado da rua. Quando ia atravessar, vi o taxista vindo, mas ele não estava rápido, porque havia um quebra mola a poucos metros e obviamente o motorista reduz a marcha para passar. Atravessei e andei normal. Quando cheguei ao outro lado,  próximo a este carro que estava estacionado no passeio, percebi o baque do retrovisor no meu cotovelo e senti a roda do carro passar por cima do meu pé, no tornozelo. Na hora eu fiquei estarrecido com o que aconteceu, olhando ele partir. Vi ele olhar umas duas vezes pra tras de dentro do carro mesmo", disse Sato. 

Foto:Lucas Sato

O fotógrafo diz que o taxista passou com o pneu do carro por cima do seu tornozelo

Lucas relata que as testemunhas disseram para ele anotar a placa, mas, ele afirma que não conseguiu porque ficou "nervoso com a situação". Ele voltou para casa andando e "chorando de raiva pelo que aconteceu". O fotógrafo conta que o tornozelo ficou inchado devido a batida e que as marcas do pneu ficaram na sandália que ele estava usando.

O outro lado

A presidente do Sindicato dos Taxistas (Sinditáxi), Roseli Abreu, afirma que o sindicato "repudia veementemente" qualquer ato de violência contra um  passageiro ou um pedestre.

"Lámentável o que aconteceu com esta pessoa. O sindicato não tolera nenhum tipo de violência. Nós do Sinditáxi, conscientizamos os nossos taxistas para dirigirem com segurança e evitar problemas. O Código de Trânsito Brasileiro é claro quanto a isso. Infelizmente, o rapaz não anotou a placa e nem alvará do táxi ou número do veículo. É importante ter estes dados em mãos para que a Coordenadoria de Táxis e Transportes Especiais (Cotae), da Secretaria Municipal de Mobilidade, receba a denúncia, apure o ocorrido e tome as providências cabíveis".