Famosos

Toffoli derruba liminar contra Porta dos Fundos e Netflix

Especial de Natal 'A Primeira Tentação de Cristo' está temporariamente liberado para ser exibido na plataforma

O imbróglio envolvendo o Especial de Natal do Porta dos Fundos, disponível no catálogo da Netflix, está longe de ter um fim. Depois que o desembargador Benedicto Abicair, da 6ª Câmara Cível, do Rio de Janeiro, decretou que o vídeo fosse retirado do ar pela produtora e pela plataforma digital, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, concedeu nesta quinta-feira (9), provisoriamente, uma liminar que autoriza a exibição do filme.

"Não se descuida da relevância do respeito à fé cristã (assim como de todas as demais crenças religiosas ou a ausência dela). Não é de se supor, contudo, que uma sátira humorística tenha o condão de abalar valores da fé cristã, cuja existência retrocede há mais de 2 (dois) mil anos, estando insculpida na crença da maioria dos cidadãos brasileiros", declarou Toffoli na decisão, segundo informações do G1.

Desde que foi lançado no início de dezembro de 2019, o conteúdo, intitulado A Primeira Tentação de Cristo, causou burburinho nas redes sociais. Diversos grupos religiosos afirmaram que se sentiram ofendidos com a história do especial, que retratou Jesus como um homossexual. Na época do lançamento, o deputado federal Eduardo Bolsonaro disse no seu perfil do Twitter que a equipe do Porta dos Fundos debochou da fé de muitas pessoas.

"A Netflix acaba de lançar um 'Especial de Natal' onde Jesus Cristo (Gregório Duvivier) é gay e tem relações com Fábio Porchat, além de se recusar a pregar a palavra de Deus. Somos a favor da liberdade de expressão, mas vale a pena atacar a fé de 86% da população? Fica a reflexão", escreveu ele.