Brasil / Curiosidades

Veja 10 músicas para comemorar o Dia Nacional do Samba

Confira esses sambas emblemáticos e celebre

Foto: Pixabay/Creative Commons
Pandeiro
O dia dois de dezembro é marcado como Dia Nacional do Samba

Com pouco mais de 100 anos de história - de acordo com pesquisas de historiadores - o samba tornou-se símbolo da identidade brasileira e, por sua influência e importância cultural no país, foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como Patrimônio Imaterial do Brasil. 

O dia dois de dezembro é marcado como Dia Nacional do Samba, data que celebra esse ritmo presente em todas as regiões do país independente de temporada festiva. Para celebrar,veja uma playlist com alguns dos sambas mais emblemáticos da história musical brasileira. Aperta o play e comemore. 

Pelo telefone - Donga

Segundo registros históricos, esse foi o primeiro samba gravado no Brasil. A música, do início do século 20,  pode soar um tanto 'estranha' pela ausência de percussão, detalhe que, no futuro ficaria carimbado como uma das marcas desse estilo musical. No entanto, a data de 27 de novembro de 1916, quando foi feito o registro da canção, ficou marcada como a do nascimento oficial do samba no Brasil. 

 

A voz do morro - Zé Keti

O clássico de Zé Keti fala sobre as origens do samba e sobre sua importância para a felicidade e bem estar geral da nação. A música é de 1952 mas só foi lançada em 1956.  

 

Canta canta minha gente - Martinho da Vila

Nesta canção, além da mensagem de otimismo e positividade, Martinho da Vila cita alguns tipos de samba, como o samba de roda, o rasgado, o de breque e o quadrado. 

 

 

Retalhos de cetim - Benito di Paula

Benito di Paula entrou para o rol dos clássicos do gênero com Retalhos de Cetim. A melancolia ritmada desse samba é capaz de conquistar qualquer ouvido mais apurado e é presença indispensável nas rodas. 

 

 

Na cadência bonita do samba - Ataulfo Alves

Lendário nome do samba, Ataulfo Alves é quem assina esse. Ataulfo é dono de uma das maiores musicografias do país, com mais de 320 composições.  

 

 

A sorrir - Cartola

Cartola é outra figura de extrema importância na história do samba. Ele foi um dos fundadores da escola Estação Primeira de Mangueira e foi dele a sugestão de colorir a agremiação de verde e rosa. Compositor e violonista, só gravou seu primeiro disco aos 66 anos mas, a demora não impediu que ele fosse considerado um dos maiores sambistas brasileiros. 

 

 

Vou festejar - Beth Carvalho

Conhecida como 'madrinha do samba', Beth Carvalho revelou grandes nomes do segmento como Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz e Jorge Aragão, todos 'saídos' da famosa quadra carioca Cacique de Ramos. Apesar de ser mangueirense, foi homenageada por diversas escolas de sambas no Rio de Janeiro e faleceu, neste ano de 2019, deixando muita saudade e muitos sambas bonitos para recordar. 

 

Não deixe o samba morrer - Alcione

Um verdadeiro 'hino' do mundo do samba, composto por Edson Conceição e Aloísio Silva e imortalizado na voz da Marrom. A música enaltece os 'bambas' e a velha guarda do samba e ainda fala do amor à escola e ao momento de defendê-la na avenida. 

 

Malandro é malandro, mané é mané - Bezerra da Silva

Bezerra da Silva usava o seu samba para fazer duras críticas sociais ma sem deixar de lado o deboche. O sambista personificava a malandragem carioca e ficou cravado como um dos maiores sambistas do país. 

 

Meu lugar - Arlindo Cruz

Ex-integrante do Fundo de Quintal, um dos grupos mais importante do samba no Brasil, Arlindo Cruz conseguiu a simpatia do público também em sua carreira solo. O sambista sofreu um AVC em 2017 e, desde então, luta pela sua recuperação. Os fãs acompanham a evolução de seu quadro de saúde pelas redes sociais e matam as saudades ouvindo seus sambas como este, que já se consagrou como um clássico.