Esportes

Cruzeiro tem contra o Vasco chance de sair da zona de risco

O Cruzeiro está no 17º lugar, com 36 pontos

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro
Jogadores do Cruzeiro treinam, no Rio de Janeiro

Em crise, com Adilson Batista substituindo Abel Braga como treinador e o meia Thiago Neves envolvido em polêmicas, o Cruzeiro tem a chance de deixar o Z4 nesta segunda-feira, quando visita o Vasco, às 20h, em São Januário, no Rio de Janeiro (RJ), pela 36.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

No momento, os visitantes estão no 17.º lugar, com 36 pontos, e formam a zona de rebaixamento com o virtual rebaixado CSA (32) e os rebaixados Chapecoense (28) e Avaí (19). Os donos da casa, por outro lado, com 44, aparecem na 13.ª posição, dentro do grupo que irá para a próxima Copa Sul-Americana.

Os volantes Raul, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, tomado na derrota por 1 a 0 para o São Paulo, e Marcos Júnior, que ficou desacordado após choque de cabeça com o goleiro tricolor Tiago Volpi, são desfalques certos do Vasco da Gama. Fellipe Bastos deve assumir uma das vagas disponíveis no meio de campo.

“Temos que ter respeito por nós mesmos, com uma equipe que só alcançou a primeira vitória na oitava rodada, para muitos era dada como rebaixada. Conseguimos mostrar que somos capazes, tínhamos chances maiores de alcançar a Libertadores, porém, alguns fatores atrapalharam”, disse o goleiro Fernando Miguel.

O Cruzeiro não poderá contar com os meias Thiago Neves, com edema na coxa esquerda, e Rodriguinho, com um problema lombar, e o lateral-esquerdo Dodô, que não treinou no sábado, serão desfalques. Por outro lado, o zagueiro Dedé se recuperou de lesão e deve ser opção no banco de reservas.

“O tempo é escasso. E o pouco tempo que temos já precisamos que mostrar o que queremos. Precisamos ter atitude. Não adianta falar e não fazer. Não posso ser radical. Temos que ter alguns cuidados quando chegamos a um clube”, disse o técnico Adilson Batista, que estreará à frente da Raposa.

Fernando Miguel cobra vitória

Uma das referências do elenco vascaíno, o goleiro Fernando Miguel analisou o desempenho apresentado pelo time nos últimos jogos do Campeonato Brasileiro e a atuação diante do São Paulo, na quinta-feira, no Morumbi. O camisa 1 admitiu que a atuação foi abaixo da média que o time vinha apresentando e já mirou o confronto diante do Cruzeiro, na próxima segunda-feira (2/12), às 20h, em São Januário.

- Foi uma partida onde não tivemos o desempenho desejado. Deixamos um pouco a desejar no aspecto do comprometimento, a equipe adversária teve o domínio da partida. Acredito que voltamos para o segundo tempo com uma postura diferente e poderíamos ter arrancado um empate. Agora temos que nos concentrar para fazermos uma ótima partida diante do Cruzeiro no nosso estádio - disse Fernando.


O goleiro Fernando Miguel - Foto: Rafael Ribeiro/Vasco

Perguntado sobre a falta que fez o atacante Rossi na última partida, o goleiro revelou que cada jogador tem sua importância e que o determinante para o resultado foram os aspectos coletivos.   

- Todo jogador faz falta, o Rossi tá numa fase excelente. Tem sua importância dentro da nossa equipe, porém acho que o que determinou o resultado foram o aspecto coletivo - disse o goleiro, ressaltando que a próxima partida é sempre a mais importante e relembrou toda a campanha da equipe até aqui:

- É sempre o próximo jogo. Temos que ter respeito por nós mesmos, com uma equipe que só alcançou a primeira vitória na oitava rodada, onde para muitos era dada como rebaixada. Conseguimos mostrar para todos que somos capazes, em certos momentos tinhamos chances maiores de alcançar a Libertadores, porém alguns fatores atrapalharam.