Palco

Realidade brasileira é principal ajuda para aulas de corrupção

Protagonista da peça solo e autor do texto "O Corrupto" fala ao Leiamais.ba

Foto: Andreia Magnoni
O Corrupto
Frank Menezes encarna um professor de Corrupção Ativa

Na semana passada circulou pela imprensa um texto que informava que estavam  abertas as inscrições para aulas de Corrupção Ativa.

Foi um rebuliço.

Na verdade foi mais “um golpe” de “O Corrupto”, encarnado por Frank Menezes, que voltou a cartaz com a peça até primeiro de dezembro de 2019, aos sábados (20h) e domingos (19h), no Teatro Eva Herz- Livraria Cultura.

O Leiamais.ba conversou com Frank Menezes que conta na entrevista, entre outras coisas, que não tem trabalho para renovar o texto a cada nova temporada, já que a realidade brasileira nos últimos anos oferece muito material. Confira a entrevista :

Foto: Andreia Magnoni

Frank Menezes em "O Corrupto"

Leiamais.ba - Quando você escreveu o texto de O Corrupto, o que o levou a querer criar e interpretar este personagem? 

Frank Menezes - Mirando sempre ser o humor como propulsor do recado de que vivemos numa sociedade que vive naturalmente inserida na corrupção...saquei que se o personagem fosse um professor de corrupção, a piada já estava aí, na cara...o personagem surge para ensinar aos "alunos" a cometer o dolo mais facilmente! O personagem, por si só já diz como somos descarados!

Leiamais.ba - O Corrupto estreou em 2016 e o país já estava num rebuliço político que não parou até agora. Naquele momento, sobre o que você queria falar com a peça? 

Frank Menezes - Eu queria dizer que o que estamos vivendo é resultado do que somos. Os políticos são nossos representantes, eles estão lá por que nós colocamos e eles são o reflexo de como agimos!

Leiamais.ba - Como foi ir atualizando o texto de 2016 para cá ? Que recursos você usa? 

Frank Menezes - Escrevi já pensando nisso, existem partes da peça que deixei ganchos para improvisar com o que vai acontecendo e aparecendo. E no fundo no fundo, nós brasileiros já conhecemos os artifícios que as "celebridades" políticas fazem. Tenho a impressão que já vimos tanta artimanha, que nem nos surpreende mais!

Leiamais.ba - Estamos vivendo um ano onde todos os dias praticamente alguma declaração polêmica no mundo da política ganha as manchetes. Como é para você?

Frank Menezes - A informação chega de uma forma tão rápida e urgente, que acho que até dormindo nosso cérebro vai absorvendo. Acompanhar não é o problema; problema mesmo é selecionar o que dizer!

Leiamais.ba - Vivemos um momento de tragicomédia no Brasil? 

Frank Menezes - Vivemos sim...o momento comédia  por parte é por sermos uma população que sabe rir da própria miséria. Não sei se isso é bom ou ruim, sei que isso existe, está inserido no DNA brasileiro, a capacidade de tirarmos humor das situações mais difíceis; seja individualmente ou em grupo, conseguimos rir de tudo, é impressionante! Mas a tragédia existe de uma forma cotidiana também.

É  doloroso perceber, por exemplo, que a maioria dos indivíduos não terão um tratamento digno de saúde a vida. Digo isso, pois sabemos que nada é feito efetivamente para dar dignidade sanitária à grande maioria da população. E isso é trágico! Vivemos à beira de uma pandemia,...que Deus não me ouça!

Leiamais.ba - Mas você não fala só dos políticos. Há muitos tipos de corrupção acontecendo no país, no mundo não é? 

Frank Menezes - Sim, claro, é muito mais por isso que escrevi O Corrupto. Queria falar dessas corrupções diárias, corriqueiras, habituais, que fazemos descaradamente sem nos preocuparmos com o mal que estamos fazendo! São vários exemplos de corrupção diária, vários, inúmeros exemplos .Vou falar do lixo.

Quando, por exemplo, falei da pandemia acima, estava me referindo também ao costume que temos de jogar lixo em qualquer lugar! As condições sanitárias são terríveis pois não termos um saneamento básico decente em quase todo o país, mas também por não nos importarmos com o lixo que produzimos e descartamos de uma forma que parece que queremos que o outro sofra.

Agora, detalhe, isso não é um mal só brasileiro.Lembra-se de alguns anos atrás quando foi descoberto no porto de Santos um container cheio de lixo vindo da Europa?! Pois então,alguns países continuam fazendo isso, enviam containers com lixo para países mais pobres! É o horror em forma de atitude!

Leiamais.ba - Como você definiria esse personagem? 

Frank Menezes - Um canalha desprezível, cínico disfarçado de palhaço!

Anote

“O Corrupto” – Frank Menezes
Direção:
Marcelo Praddo
Datas e horários: Sábados (20h) e domingos (19h), até primeiro de dezembro
Local: Teatro Eva Herz
Ingressos: R$ 30 (meia entrada) / R$ 60 (inteira)
Vendas no Sympla https://bileto.sympla.com.br/event/62774/d/74218/s/386559 - ou na bilheteria do teatro