Esportes

Em jogo de 8 gols Flamengo e Vasco empatam no Maracanã

Flamengo e Vasco protagonizaram um espetáculo dentro de campo

Foto: Rafael Ribeiro/Vasco
O saldo final foi um empate entre os cariocas: 4 a 4

O jogo antecipado da 34ª rodada do Campeonato Brasileiro nesta quarta-feira (13) reservou um clássico eletrizante para os amantes do futebol.

Flamengo e Vasco se enfrentaram no Maracanã e protagonizaram um espetáculo dentro de campo, com direito a viradas e oito gols no total. O saldo final foi um empate entre os cariocas: 4 a 4.

Com o resultado, o Fla chegou aos 78 pontos e segue isolado na liderança da Série A. O Vasco, com 43, aparece na décima posição.

O Flamengo precisa de 7 pontos nos próximos 5 jogos para garantir matematicamente o título brasileiro. Nesse cenário, o líder chegaria à marca de 85 pontos. O Palmeiras, se vencer todos os seus jogos, atingiria a mesma pontuação, mas ficaria atrás pelo número de vitórias (26 a 25).

Se o Flamengo empatar com o Palmeiras precisará de 4 pontos nos outros jogos.

Os próximos jogos do Flamengo são contra Grêmio (fora), Ceará (em casa), Palmeiras (fora), Avaí (em casa) e Santos (fora). O Palmeiras pega o Bahia (fora), Grêmio (em casa), Fluminense (fora), Flamengo (em casa), Goiás (em casa) e Cruzeiro (fora).

Como foi o jogo

O clássico carioca começou com gol aos 38 segundos de bola rolando. No primeiro ataque do jogo, Reinier fez boa jogada individual, invadiu a área e cruzou. Gabriel desviou, e Everton Ribeiro concluiu para o fundo da rede: 1 a 0.

Depois, apesar da posse de bola, o Rubro-Negro parou de criar e viu o Vasco armar mais contra-ataques perigosos. Até que, aos 33, Rossi cruzou na área, Raul ajeitou de cabeça, e Marrony chegou finalizando de primeira para empatar a partida. Instantes depois, Yago Pikachu foi derrubado por Rodrigo Caio na área, e o próprio meia converteu o pênalti e virou para o time cruzlmatino. Depois, aos 49, o placar voltou a ficar igual.

Em cobrança de falta ensaiada, Gabriel ameaçou chutar para o gol, mas rolou para Rafinha, que bateu cruzado e viu a bola desviar em Danilo Barcelos antes de enganar Fernando Miguel e entrar: 2 a 2.

As emoções seguiram na volta do intervalo. O Vasco voltou a virar aos seis minutos. Pikachu deu ótima assistência para Rossi na linha de fundo, que cruzou na área para Marcos Júnior, completamente livre, completar para o gol.

O clássico se manteve bem disputado, com o Flamengo empatando mais uma vez aos 20 minutos. Em contra-ataque, Bruno Henrique partiu em velocidade, tabelou com Arrascaeta e finalizou na saída de Fernando Miguel para fazer 3 a 3.

Depois, o Rubro-Negro passou a controlar as ações e criar mais oportunidades. Em uma delas, aos 24, Gabriel recebeu cruzamento de Arrascaeta, mas furou o lance e desperdiçou a chance. E, aos 34, Vitinho fez boa jogada na linha de fundo e cruzou. Gabriel desviou, e Bruno Henrique encheu o pé para marcar mais uma vez no clássico: 4 a 3.

A partida seguiu eletrizante até os instantes finais. Aos 43, Ribamar soltou uma bomba, mas viu Diego Alves fazer ótima defesa para o Fla. Mas, quatro minutos depois, o atacante não deixou passar a chance e cabeceou para marcar o quarto do Vasco e fechar o placar no Maracanã: 4 a 4.

Confusão depois do jogo

Bruno Henrique não controlou a emoção e resolveu provocar o Vasco da Gama após o jogo. Autor de dois gols do duelo, o atacante enalteceu o Flamengo e brincou com a temporada do arquirrival, que chegou a brigar pelo rebaixamento, mas hoje ainda sonha com uma vaga na Libertadores de 2020.

"A equipe está de parabéns pelo desempenho, pela atitude. Mas vou aproveitar para mandar um recado: 'Nós estamos brigando pelo título, eles não sei pelo o que estão brigando'", falou Bruno Henrique.

Os ânimos estavam à flor da pele no final da partida. Após uma discussão entre Pablo Mari e Ribamar, houve um tumulto generalizado, rapidamente contido pelos treinadores de ambas as equipes. No entanto, o clima acabou ficando quente.

"Temos que ter a cabeça no lugar. Isso é o que eles queriam. Ficaram fazendo gracinha o tempo inteiro. O Henríquez provocou o jogo todo. Nós perdemos a cabeça um pouco. Perdemos o foco do jogo, mas não da batalha. Vamos descansar, porque grandes coisas a gente tem pela frente", concluiu o atacante.

Bruno Henrique citou o duelo contra o Grêmio, no próximo domingo, em Porto Alegre, jogo que poderia dar o título para a equipe rubro-negro se não fosse o tropeço diante de seu arquirrival. No dia 23, o time carioca faz a final da Libertadores frente ao River Plate, no Peru.

As provocações não ficaram apenas para o final da partida. Bruno Henrique fez gestos provocativos em ambas as comemorações de gol. Além do atacante, Rafinha também deu uma alfinetada através de gestos.

No segundo gol do Flamengo, o lateral imitou a comemoração de Edmundo. Em 1997, o 'Animal' saiu rebolando e agitando os braços ao fazer o terceiro gol da vitória por 4 a 1 do Vasco na semifinal do Campeonato Brasileiro daquele ano. 

O atacante Ribamar minimizou as declarações em tom de provocação de Bruno Henrique e enalteceu o empenho do time cruz-maltino, que chegou ao quarto gol aos 47 minutos da etapa complementar.

"Confusão normal. É clássico Vasco e Flamengo. O clima esquenta, mas depois do jogo tudo volta ao normal. Viemos fazer nosso jogo. Eles têm a característica deles e nós a nossa. Viemos jogar futebol", falou Ribamar.

O atacante explicou ainda a sensação de sair da zona de rebaixamento para marcar o gol salvador nos minutos finais. O ponto, inclusive, foi importante para praticamente confirmar a permanência na divisão. O time de Luxemburgo tem 43 pontos, contra 34 do Fluminense, o primeiro dentro da zona de rebaixamento.

"Sensação incrível. Equipe trabalhou bastante para esse jogo. Merecíamos a vitória, mas o empate foi bom. Temos que valorizar o ponto conquistado contra o Flamengo", finalizou o jogador, que foi acompanhado por Vanderlei Luxemburgo.

"Criamos uma estratégia para atacar o Flamengo. Exploramos a velocidade no campo deles. Quem achou que íamos se defender, se enganou. A rivalidade Flamengo e Vasco existe há anos. Alguns jogadores do Fla se equivocaram ao dizer que já são campeões e que o Vasco não briga por nada. A escola do futebol é bonita, mas você precisa conhecê-la. Estamos brigando para não cair, mas estamos também lutando pela dignidade. Precisa respeitar a tradição do Vasco. Essa camisa tem história. Honramos o Vasco, como eles honram a deles. Precisa ter respeito", completou Luxemburgo.

No túnel, Fellipe Bastos e Rafinha bateram boca e iniciaram uma nova aglomeração, mas, aparentemente, nada de mais grave ocorreu.