Saúde

Por que cuidar da saúde emocional da mulher com câncer importa tanto

A paciente com câncer de mama deve ser orientada da melhor forma a descobrir-se em seu corpo e a desenvolver recursos de enfrentamento que fortaleçam sua autoestima

No Outubro Rosa, muito se fala sobre a prevenção contra o câncer de mama, mas ainda é muito escassa a abordagem no sentido de conscientizar a sociedade para a importância do olhar sobre a questão emocional e psicológica da paciente oncológica. Muitos não sabem, mas o risco de suicídio é maior entre pessoas com diagnóstico de câncer, ocasionado pela falta de suporte psicológico nesse momento delicado.

"Durante o pré-diagnóstico e o tratamento oncológico, os procedimentos realizados acabam gerando muito desconforto, angústia, ansiedade e altos níveis de estresse tanto para os pacientes, como também para a família e equipe", diz Raphaella Pires, psicóloga e especialista em Psico-Oncologia. Segundo a profissional, assim que se inicia o processo de diagnóstico da doença, já é o momento de trabalho de uma equipe de psicologia intervindo para ajudar a amenizar o sofrimento do paciente. "Aprender a lidar com esses momentos é fundamental para a qualidade de vida de quem sofre com a doença, além de melhorar a adesão ao tratamento".

No caso específico do câncer de mama, a psicóloga também lembra o quanto a mulher em tratamento pode sofrer com relação à sua auto imagem, uma vez que é comum a retirada da mama ou parte dela: "O câncer de mama está já por definição ligado a uma das partes do corpo da mulher que tem uma representação de feminilidade muito forte, seja pela conotação sexual, como também por ser a fonte de alimento dos filhos, através da amamentação". 

Neste momento, torna-se ainda mais importante que os profissionais de saúde estejam preparados para lidar com essas questões tão importantes na vida da mulher. A paciente com câncer de mama deve ser orientada da melhor forma a descobrir-se em seu corpo e a desenvolver recursos de enfrentamento que fortaleçam sua autoestima. Além do carinho e cuidado das pessoas ao seu redor, é necessário que a mulher com câncer tenha um acompanhamento com um profissional de psicologia, com quem poderá dividir angústias e falar de experiências amplamente e com o suporte adequado.