Ciência / Mundo

Índia perde contato com módulo que se aproximava da lua

O módulo estava a apenas 2 quilômetros da superfície

Vikram
O Vikram estava na estapa final do pouso na lua

A agência espacial da Índia perdeu contato com seu módulo lunar Vikram neste  sábado (7 de setembro), quando era feita a aproximação final ao polo sul da Lua.

O módulo estava a apenas 2 quilômetros da superfície, onde implantaria um veículo espacial em busca de sinais de água, quando deixou de enviar sinais.

Um pouso bem-sucedido tornaria a Índia apenas o quarto país a pousar um módulo na superfície da lua (ao lado de Estados Unidos, Rúsia e China) e apenas o terceiro a operar um robô robótico no satélite natural da Terra.

"Vamos esperar o melhor", disse o primeiro-ministro indiano Narendra Modi, que estava no Controle de Missões na cidade de Bangalore.

A missão, conhecida como Chandrayaan-2, custou US$ 140 milhões (cerca de R$ 560 milhões) e tinha o objetivo de estudar crateras lunares que ficam permanentemente na sombra e onde  se acredita haver depósitos de água.

A missão teve início no dia 22 de julho, no centro espacial Satish Dhawan em Sriharikota, uma ilha na costa do estado indiano de Andhra Pradesh.

O Chandrayaan-2 entrou na órbita lunar dia 22 de agosto.

No dia 2 de setembro o módulo chamado Vikram se separou, iniciando uma série de manobras de frenagem para abaixar sua órbita e se preparar para o pouso.

Em janeiro a China registrou o primeiro pouso no lado oposto da lua. E em abril uma espaçonave israelense caiu momentos antes do pouso.