Política

Alexandre Frota é expulso do PSL

O deputado vinha criticando o governo Bolsonaro

Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
Deputado Alexandre Frota e deputada Carla Zambelli conversam
Deputado Alexandre Frota e deputada Carla Zambelli (PSL-SP)

O deputado federal Alexandre Frota, eleito por São Paulo e em primeiro mandato, apagou suas contas nas redes sociais, nesta terça-feira (13 de agosto), após ser expulso do PSL em votação unânime (9 votos).

O pedido de desligamento partiu da deputada Carla Zambelli (PSL-SP), que em recente declaração ao jornal "O Globo" disse que a situação do parlamentar no partido era "insustentável".

Filiado ao PSL desde 4 de abril de 2018, ele vinha usando as mídias sociais para criticar o governo do presidente Jair Bolsonaro, eleito pelo partido. 

Frota criticou a indicação do deputado federal Eduardo Bolsonaro(PSL-SP), um dos filhos do presidente, ao posto de embaixador do Brasil nos Estados Unidos, e publicou um artigo intitulado “Por que sou contra o Eduardo Bolsonaro em Washington”, considerando a indicação um "exemplo do que há de mais velho na política: pais beneficiarem seus filhos através da coisa pública".

Alexandre Frota considerou que Eduardo Bolsonaro "nada tem de diplomático, haja vista ter aventado até mesmo o fechamento do STF por 'um cabo e um soldado'. Para alçar voos internacionais é preciso, primeiro, respeitar a Constituição Federal e os poderes brasileiros. A destreza em fritar hambúrgueres não o credencia", disse.

Em julho, postou  que “está na hora do Bolsonaro dar valor ao Congresso e respeitar os deputados que fizeram um grande trabalho aprovando a Previdência”. E compartilhou uma entrevista concedida à revista “Época”, cujo título continha uma frase sua: “Bolsonaro é minha maior decepção”.

O deputado federal considera que se desgastou por “defender a prisão do [Fabrício] Queiroz”, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente.

Ele tem propostas para compor outras legendas, como PSDB e DEM.