Cidade / Música

Comunidade usa a música para transformar a vida de jovens

O conservatório foi criado em 2007 em Mata de São João

Foto: Rosana Andrade
Alunos do Conservatório de Música do Núcleo Barro Branco
Alunos do Conservatório de Música do Núcleo Barro Branco

O quintal dos índios da Bahia no CCPI (Centro de Culturas Populares e Identitárias)na Flipelô-Festa Literária do Pelourinho recebeu o Projeto Coletivo Ser de Arte, idealizado por Acely Araújo, que tem como propósito transformar a realidade de crianças e jovens com leitura e arte.

Para sua roda de conversa na Flipelô a educadora convidou 15 alunos do Conservatório de Música do Núcleo Barro Branco, bairro de Mata de São João levou ao bate papo a música instrumental.

Quando disse que queria ir até o local para levar o Projeto do conservatório, Acely foi alertada que o bairro era um dos mais complicados da cidade e ela rebateu :"Então é lá mesmo que precisamos ir".

O conservatório foi criado em 2007 em Mata de São João e o núcleo do Barro Branco existe desde  maio de 2019. Quase 4 mil alunos de 25 escolas municipais são beneficiadas pelo projeto, além da comunidade que também pode participar das atividades.

São oferecidas aulas de diversos instrumentos, como violino, teclado e violão, além de aulas de dança e teatro e coral. Não há limite de idade para participar.

O coordenador do projeto, Gilcimar Marques, mais conhecido como Caxixi, explica que não há limite de idade para fazer as aulas e que alguns pais que levaram seus filhos, acabaram ficando para fazer algum tipo de aula. Ele conta que uma aluna aos 46 anos de idade, está realizando um sonho de fazer aulas de balé.