Bahia / Política

Rui Costa não irá na inauguração de aeroporto em Conquista

Rui diz que aeroporto deve ser inaugurado "por quem trabalhou e pelo povo"

Foto: Mateus Pereira/GOVBA
Governador Rui Costa (PT-BA)
Na opinião do governador, o evento se transformou em uma convenção político-partidária

Em vídeo publicado nas redes sociais na tarde desta segunda-feira (22), o governador Rui Costa afirmou que não participará da inauguração do Novo Aeroporto Glauber Rocha, em Vitória da Conquista.

Na opinião do governador, o evento se transformou em uma convenção político-partidária.

“A medida anunciada é excluir o povo da inauguração, fazer uma inauguração restrita a poucas pessoas, escolhidas a dedo como se fosse uma convenção político-partidária. Não posso concordar com isso”, disse ao explicar a decisão. 

Na mensagem, Rui destacou a importância de todos os trabalhadores que se dedicaram por muitos anos na construção do equipamento e reconheceu o papel dos ex-presidentes Dilma Rousseff e Michel Temer; do ex-governador Jaques Wagner; e do ex-secretário estadual de infraestrutura, Otto Alencar, para a conclusão da obra. 

Leia na íntegra a fala do governador:

"Olá, meus amigos e amigas. Quero reafirmar o orgulho de ter nascido na Liberdade. O meu profundo orgulho de ser baiano, de ser nordestino. Nordestino que acima de tudo é um resistente, um trabalhador. Como o povo da região de Vitória da Conquista, que trabalhou muito durante anos para tornar esse sonho realidade, o novo aeroporto da região.

Exercitando o que aprendi com a minha família, a gratidão, quero aqui reconhecer aqui o papel fundamental do ex-governador Jaques Wagner que iniciou esta grande obra. Do ex-secretário de infraestrutura, Otto Alencar, que também participou de forma decisiva.

Reconhecer o papel da presidenta Dilma Rousseff, que assinou os dois convênios. O primeiro, da pista, no ano de 2012, e o segundo, do terminal de passageiros, já no ano de 2015. E quero agradecer também ao ex-governo Temer, que pagou a última parcela, em novembro de 2018.
 
Exercitando a boa educação que aprendi, convidei o Governo Federal a se fazer presente no ato de inauguração, nesta grande festa. Infelizmente, confundiram a boa educação com covardia, e desde então, temos presenciado agressões ao povo do Nordeste e ao povo da Bahia.

A medida anunciada é excluir o povo da inauguração, fazer uma inauguração restrita a poucas pessoas, escolhidas a dedo como se fosse uma convenção político-partidária. Não posso concordar com isso.

Por isso, não vou comparecer à inauguração do aeroporto que o povo da Bahia construiu, que o Governo do Estado construiu. Porque entendo que o Brasil precisa de paz para crescer e para gerar emprego.

Quero pedir a Deus e ao Senhor do Bonfim que continue iluminando meus passos, me dando serenidade e saúde para que eu continue trabalhando pelo povo da Bahia, pelo povo do Nordeste e pelo povo brasileiro.

Que Deus nos abençoe".

A deputada federal Dayane Pimentel (PSL-BA) disse que "a festa é do povo e a União cumpriu seu papel".

Já para o deputado Federal Waldenor Pereira (PT-BA) "o que mais constrange em todo o circo armado por Bolsonaro e o prefeito Herzem Gusmão (MDB) em torno na inauguração do aeroporto é que, o primeiro não destinou um centavo para a obra e o segundo é velho conhecido por torcer contra a sua realização nas ondas do rádio da cidade".

O senador Jaques Wagner (PT-BA) considera que o governo federal e a prefeitura "transformaram em um mesquinho ato político-partidário". 

Flávio Dino, governador do Maranhão (PCdoB), chamado de "paraíba" pelo presidente Jair Bolsonaro, pediu "união, paz e respeito" e fez um apelo "ao bom senso, enquanto há tempo".

O presidente Bolsonaro destacou em vídeo que "a obra é do cidadão brasileiro" e lembrou que "vem de governos anteriores".

A construção do equipamento, que contou com recursos estaduais e da União, foi coordenada pela Secretaria de Infraestrutura do Estado (Seinfra).  

Com estrutura projetada para receber aeronaves de grande porte, o novo aeroporto começa a operar dia 25.

O novo equipamento vai ter o dobro de capacidade do antigo aeroporto, podendo ampliar para sua movimentação para 500 mil passageiros até 2020.

Foram investidos cerca de R$ 106 milhões na obra, com mais de R$ 31 milhões do orçamento do Governo da Bahia.

Os recursos do Governo Federal foram assegurados durante a gestão da ex-presidente Dilma Rousseff e repassados até o ano de 2018, quando foram transferidos os últimos valores ao Governo do Estado para conclusão das intervenções. 

Os investimentos foram aplicados em desapropriações, elaboração de projetos, obras das pistas de pouso e terminal de passageiros, além de intervenções complementares como as vias de acesso até o novo equipamento. 

O processo para implantação do novo aeroporto teve início em 2011, quando o Governo do Estado pagou as indenizações que garantiram o terreno onde o aeroporto seria construído. No ano seguinte, Estado e União assinaram convênio assegurando os recursos para viabilizar a obra.

Com projetos já totalmente finalizados, a ordem de serviço para a primeira fase obra foi autorizada pelo governo baiano, em 2014. A liberação pela União para construção do terminal de passageiros ocorreu em 2015. A última parcela do governo federal para conclusão da obra saiu em R$ 2018.