Palco

Ator e diretor com experiência internacional, Ricardo Burgos realiza workshop em Salvador

Com técnica desenvolvida por Sanford Meisner

Foto: Divulgação

O workshop oferece uma introdução à técnica que foi desenvolvida por Sanford Meisner e é um dos principais e mais completos métodos de atuação do mundo ocidental.

Ricardo Burgos estudou com Andrea Dantas e Jim Parrack por dois anos na Playhouse West Brooklyn, onde estudou a técnica Meisner. Ator e diretor com experiência internacional, Ricardo estará trazendo uma das técnicas mais prestigiadas do mundo à Salvador.

O workshop acontece nos dias 4, 5, 6 e 7 de julho, na  Rua Rio Grande do Sul , 635. As vagas são limitadas e o curso custa R$ 400,00. 

Para fazer a sua pré reserva, enviar e-mail para querodancarnostudioa@gmail.com  ou entrar em contato com o Studio A através do Instagram. Link para inscrição: https://forms.gle/YaSXvJ83xLH3WY6K7

Sanford Meisner formou o Group Theater em 1931, juntamente com Lee Strasberg , Harold Clurman e Cheryl Crawford. Na época a técnica de memória emotiva de Lee Strasberg foi o principal método de atuação, mas Meisner sentia que isso limitava a imaginação do ator. Influenciado pelas teorias do Grande professor de teatro russo Constantine Stanislavski, Meisner começou a formar a sua própria técnica em 1940.

Meisner observou que dois atores poderiam criar grandes personagens, ser emotivamente verdadeiros e ainda falhar a cena - e ele se perguntou o porquê. Ele percebeu que o que trouxe vida e energia a uma cena foi o espaço no meio: a interação entre os atores em cena. Isso o levou a desenvolver uma abordagem mais instintiva, natural de atuar, que se tornou a técnica de Meisner.

Objetivo do Curso:

O maior problema que encontro quando trabalho com atores, é a falta de uma técnica que os permita criar uma personagem verdadeira.

Geralmente, esses atores não possuem um processo funcional, mas atropelam o processo criativo, e mesmo quando se saem bem, não conseguem encontrar uma constância no trabalho, muitas vezes fazendo uma cena bem, e outras vezes, fazendo uma cena mal, sem saber como eles conseguiram um resultado positivo durante uma performance, e um resultado completamente oposto na outra. Na maioria das vezes, a resposta que obtenho desses atores é : “Putz… acho que eu não estava inspirado hoje.”

Obviamente, inspiração ajuda, mas não podemos depender somente dela. Precisamos de uma técnica. De um processo. De um mapa, para chegarmos de A ate B.

Seria uma loucura chegar em um aeroporto de malas prontas, sem saber para onde estamos indo. Da mesma forma, construir uma personagem sem um processo que nos auxilie durante a execução de uma performance é a receita perfeita para o fracasso e muitas frustrações.

Como podemos pegar um texto da prateleira e criar uma pessoa de carne e osso? Esse é o grande desafio do ator.

Sobre o curso :

MODULO I

Tudo começa a partir do texto. Ele é o nosso “mapa”, a bússola que nos conduz na direção da personagem. Sem uma dissecação objetiva do roteiro, não podemos começar a construir uma personagem com absoluta clareza, e acabamos por cair em armadilhas onde fazemos escolhas  equivocadas e sem o menor sentido.

Portanto, o nosso primeiro passo é a SCRIPT ANALYSIS, sempre. Uma vez que essa investigação estiver clara, passamos para o segundo passo: “Como eu me coloco nessa situação? “ Veja bem, a pergunta ainda não é : “Como eu entro na personagem?” Primeiro eu tenho que personalizar a situação, me apropriar do dilema proposto pelo autor, e ME colocar nela. Para tal, utilizaremos a ferramenta PARTICULARIZATIONS. 

Completados esses dois passos, podemos passar para a REALITY OF DOING, onde o texto escorre por cima de uma ação. A emoção nasce sempre da ação. O desafio é descobrir: “O que eu estou REALMENTE fazendo nessa cena? “. Na Reality of Doing, exploraremos essas sutilezas.

Completaremos o curso com a apresentação de um monologo, onde todos os elementos ensinados serão aplicados. De uma forma bem prática e eficaz.

Ferramentas: Script Analysis, Particularizations e Reality of Doing.