Brasil

Parada LGBT: PM não poderá pedir, fardado, mão do namorado

A corporação impediu que o soldado se uniformizasse para realizar o pedido

A Polícia Militar (PM) de São Paulo impediu que o soldado Leandro Prior, de 28 anos, vestisse o uniforme para pedir o namorado em casamento durante a 23ª Parada do Orgulho LGBT, marcada para o próximo domingo (23), na capital paulista.

A corporação alegou que o regulamento não permite a utilização do fardamento por agentes de folga em manifestações.

O soldado militar encaminhou a solicitação para autorização nessa sexta-feira (14). A intenção era fazer uma surpresa ao namorado Elton da Silva Luiz, 26. “Seria algo grandioso, não só para ele quanto para muitos outros.

Leandro tem orgulho de ser policial militar. Ele tem orgulho de ser quem ele é e de amar quem ele quiser", afirmou o advogado Antônio Alexandre Dantas de Souza ao G1.

O advogado alega discriminação, pois, segundo ele, há relatos de outros militares heterossexuais que estavam uniformizados quando pediram seus parceiros em casamento, sem nem mesmo solicitar autorização.

A corporação afirmou que não houve preconceito na tomada da decisão, e, em nota encaminhada ao G1, garantiu que o pedido do grupo 'PMs de Cristo' também foi recusado, visto que, pretendia utilizar o fardamento durante a Marcha para Jesus.