Esportes

Polícia indicia ex-dirigente do Flamengo por incêndio na Gávea

Incidente matou 10 atletas da base do clube em fevereiro

A Polícia Civil do Rio de Janeiro indiciou nesta terça-feira (11) o ex-presidente do Flamengo Eduardo Bandeira de Mello pelas mortes dos 10 atletas de base do clube no incêndio que ocorreu no Centro de Treinamento (CT) "Ninho do Urubu".

No incêndio, ocorrido no dia 8 de fevereiro em um dos alojamentos do CT George Halal, popularmente conhecido como "Ninho do Urubu", morreram 10 atletas da categoria de base do Flamengo. Outros três sobreviveram.

Assinado pelo delegado Márcio Petra, da 42ª Delegacia de Polícia (Recreio), o inquérito também pede que outras sete pessoas sejam indiciadas por dolo eventual, entre elas engenheiros do clube e da empresa NHJ, responsável pelos contêiners, um técnico de refrigeração e um monitor do Flamengo.

De acordo com o portal "G1", o clube carioca ainda não foi informado e só se posicionará sobre o caso quando ter conhecimento do relatório.

Bandeira, de 66 anos, comandou o Flamengo entre 2013 e 2018. Sob sua gestão, o time conquistou dois Campeonatos Cariocas e uma Copa do Brasil.