Famosos / Televisão

Morre o ator Lúcio Mauro (92 anos)

Ele estava internado no Rio há cerca de 2 meses

Foto: Reprodução/TV Globo
Lúcio Mauro contracena com Chico Anysio em "Escolinha do Professor Raimundo"
Lúcio Mauro contracena com Chico Anysio em "Escolinha do Professor Raimundo"

Ele morreu no fim da noite deste sábado (11/5), após cerca de 2 meses internado em uma clínica no Rio de Janeiro, com problemas respiratórios.

O filho, o também ator e comediante Lúcio Mauro Filho, postou em uma rede social que o pai teve uma vida linda, foi pioneiro, teve carreira vitoriosa e o influenciou.

Veja o texto, na íntegra

Por volta das 22 horas deste sábado, meu amado pai serenou. Ele merecia esse descanso. 

Lucio Mauro teve uma vida linda, uma carreira vitoriosa, 5 filhos, 5 netos, dois casamentos, com Arlete e Lu, duas mulheres fantásticas que se tornaram amigas e mantiveram essa família unida.

Papai foi um pioneiro, saiu do teatro de estudante lá no Pará, foi pro Recife, fez rádio, inaugurou a televisão no Nordeste e de lá, veio para o Rio de Janeiro pra se tornar um dos maiores artistas deste país.

Me influenciou em tudo. O homem que sou, o artista, o pai de família, o amigo. Eu nada seria sem seus ensinamentos. 
Tivemos o prazer de trabalhar juntos, na TV, no Teatro, no Cinema e na Publicidade. 

Rodamos o Brasil colocando nossas vidas a serviço da arte, em “Lucio 80-30”, quando ele teve a chance de dividir o palco com os filhos.

Não faltou nada.

Há três anos ele sofreu um AVC. Foi forte e resistiu. 

Mas já não era a mesma coisa. Preso a uma HomeCare, ele lutou até suas últimas forças. Ainda teve a alegria de conhecer Liz, a neta inesperada que chegou pra promover o ciclo da vida.

Estava internado há quase quatro meses. A esticada foi longa e sofrida. Agora só restava o descanso que ele tanto merece. 
Meus agradecimentos á todos os funcionários da Clínica São Vicente, onde papai sempre foi cuidado com carinho e profissionalismo. Á Rede Globo pela parceria e lealdade. 

Nós ficamos por aqui, celebrando sua existência e seguindo com seu legado.

Vai com Deus meu velho. Vai se juntar a Chico, Agildo, Silvino, Rogerio, Miele e tantos outros, para juntos fazerem cócegas nas estrelas.

Obrigado por tudo!

Viva Lucio Mauro!

A trajetória

Lúcio de Barros Barbalho, mais conhecido como Lúcio Mauro, nasceu em Belém do Pará, no dia 14 de março de 1927. Estreou na Globo em 1966. O ator e comediante morreu neste sábado (11).

Integrou o elenco de alguns dos principais programas de humor da emissora como "Chico City" (1973), "Os Trapalhões" (1989) e "Escolinha do Professor Raimundo" (1990).

Já atuava em teatro estudantil quando, com pouco mais de 20 anos, foi convidado para trabalhar na companhia teatral do ator Mário Salaberry, marido da atriz Zilka Sallaberry.

Em 1966, Lúcio Mauro estreou na Globo, no humorístico "TV0–TV1", ao lado de Jô Soares, Agildo Ribeiro, Paulo Silvino e outros, sob direção de Augusto César Vannucci.


Lúcio Mauro como o personagem Dr. Quindim na minissérie 'O pagador de Promessas', de 1988 - Foto: TV Globo

Trabalhou no musical "Viva a Revista!" (1969) e foi ator e diretor do programa de humor "Uau, a Companhia" (1972). Quando "Balança Mas Não Cai" foi para a TV Tupi, nos anos 1970, ele acompanhou os colegas do programa e deixou a Globo por um tempo.

Voltou para integrar o elenco de "Chico City" no final da década. Ficou marcado como Da Julia, o diretor do ator canastrão Alberto Roberto, interpretado por Chico Anysio. Em seguida, voltou a dirigir e atuar na nova versão de "Balança Mas Não Cai" (1982) na Globo, sendo também diretor de "A Festa é Nossa", semanal que tinha como cenário fixo a cobertura de Ofélia e Fernandinho.


Ofélia e Fernandinho, personagens criados por Lúcio Mauro - Foto: TV Globo

Sua filmografia tem "Terra sem Deus" (1963), de José Carlos Burle; "007 ½ no carnaval" (1966), de Victor Lima; "Redentor" (2004), de Claudio Torres; "Cleópatra" (2008), de Júlio Bressane; e "Muita Calma Nessa Hora" (2010), de Felipe Joffily.

Lúcio Mauro fazia rir (como Seu Aldemar Vigário, personagem na "Escolinha")...

...e chorar: "Você acredita em Papai Noel?"