Esportes

Bahia de Feira cede empate ao Bahia no primeiro jogo da final

O time de Feira desperdiçou a chance de sair em vantagem

Foto: Felipe Oliveira
Foi um jogo feio, principalmente no segundo tempo
Foi um jogo feio, principalmente no segundo tempo

O Bahia de Feira desperdiçou a chance de sair em vantagem na decisão do campeonato baiano de 2019 e cedeu o empate ao Bahia, em jogo neste domingo (14/4), no Estádio Joia da Princesa, em Feira de Santana.

O Bahia tinha do seu lado a tradição, o peso da camisa, a maior torcida do Estado. O Bahia de Feira tinha confiança. E foi esta que fez a diferença, no primeiro tempo, apesar do susto que levou com a bola na trave em cabeçada de Fernandão.

Bola na trave que devolveu em seguida, melhor postado em campo, chegando com mais facilidade ao ataque, explorando as laterais. 

Até que Bruninho avançou pelo meio e bateu cruzado, com a perna esquerda, para fazer Bahia de Feira 1 x 0 Bahia.


O Bahia de Feira comemora o gol - Foto: Romildo de Jesus

A partir dos 35 minutos, no entanto, o time de Feira de Santana começou a administrar o resultado, atraindo um pouco mais o Tricolor da capital e passando a correr mais riscos.

No contra-ataque, até poderia ter ampliado, aos 46, após boa jogada de Bruninho, que serviu Deon na entrada da área. O chute saiu torto, no entanto.

Apático, sonolento, o Bahia parecia apostar no jogo de volta, na Arena Fonte Nova. Isso ficou ainda mais claro na declaração do atacante Fernandão à saída do primeiro tempo: "Tem o jogo lá, ainda", disse.

No segundo tempo, o Bahia de Feira voltou recuado, mas aos 4 minutos a defesa do Bahia bateu cabeça e a bola sobrou para Jarbas encostar para as redes. O VAR foi acionado e anulou o gol, por impedimento.

Sem o mesmo apetite do primeiro tempo, o time de Feira de Santana parecia se contentar com o gol de vantagem, deixando espaços para o Bahia. A falta de qualidade técnica do Tricolor da capital, no entanto, impedia um ataque coordenado. Tudo se resumia a chutes sem rumo por parte de Fernandão.


Fernandão: chutes sem direção - Foto: Romildo de Jesus

A confiança do Bahia de Feira parecia ter evaporado e aos 26 minutos o técnico Barbosinha fechou o time ainda mais. O jogo ficou feio.

Ainda assim, em 2 minutos Edinho conseguiu perder 2 boas chances de ampliar.

Com um jogador a menos (Gabriel Bispo foi expulso depois de receber o cartão amarelo), o time de Feira desistiu do jogo e recebeu o castigo. Aos 52 minutos (o árbitro mineiro Ricardo Marques Ribeiro, que perdeu muito tempo em consultas ao VAR e ao árbitro reserva, deu 11 minutos de descontos), o Bahia empatou. Rogério, de primeira, recebendo cruzamento da esquerda.

Agora o Bahia de Feira terá que vencer na Arena Fonte Nova, domingo (21), se quiser ser campeão de 2019. Um novo empate, por qualquer placar, levará a definição para a cobrança de pênaltis.

Ficha do jogo

Bahia de Feira
Jair;
Edvan, Paulo Paraíba, Vitor Hugo e Alex Cazumba;
Capone, Bruninho (Edimar), Gabriel Bispo e Jarbas (Ebinho);
Vitinho (Menezes) e Deon
Técnico: Barbosinha

Bahia
Anderson;
Nino Paraíba, Lucas Fonseca, Ernando e Moisés;
Elton, Douglas Augusto e Ramires (Shaylon);
Artur, Fernandão (Rogério) e Arthur Caíke (Gilberto)
Técnico: Roger Machado

Gols
Bahia de Feira: Bruninho 26' 1T
Bahia: Rogério 52' 2T

Cartões amarelos
Bahia de Feira: Vitor Hugo, Gabriel Bispo, Alex Cazumba
Bahia: Douglas

Cartão vermelho
Bahia de Feira
: Gabriel Bispo

A análise do jogo
Por João Batista Cardoso

Como pode dois times com 11 jogadores cada, e no jogo parecer que um tem mais que o outro? A resposta é “esquema tático”. E a mudança de esquema determinou o empate no primeiro jogo da final.

A troca de técnicos na véspera da final quase põe o título a perder para o Bahia. Roger Machado teve que treinar um time que não conhece contra um adversário que não conhece. Isto facilitou muito a vida do Bahia de Feira no primeiro no primeiro tempo do jogo da decisão do Baianão, em jogo realizado neste domingo, no Estádio Joia da Princesa.

A primazia do meio de campo foi uma aposta certa de Barbosinha, com seu esquema 4-5-1. Roger entrou em campo com um estilo pretensamente ofensivo, um 4-3-3, que atualmente não se sustenta em nenhum time grande mais. A ousadia cobrou seu preço no primeiro tempo

Com o meio campo mais consistente, o time de Feira dominou a primeira parte do jogo. Bruninho, camisa 10, era o mais proeminente. Com belas jogadas, passes precisos e dribles certeiros, o meia foi premiado com um belo gol aos 26 minutos. Ele pegou a bola na intermediária, limpou dois adversários levando para o pé esquerdo e bateu forte. A bola foi no canto, fora do alcance de Anderson. O gol era a síntese da supremacia feirense em campo. Do outro lado, somente Fernandão dava trabalho à zaga do time de Barbosinha.

No segundo tempo, Roger decidiu mudar. Aos 25 coloca Rogério, que viria a ser o autor do gol de empate, quase no fim do jogo. Até então o Bahia de Feira mandava e desmandava no jogo. Bruninho seguia comandando o meio de campo. Quando o Tricolor de Aço tentou se impor, Barbosinha trocou o atacante Vitinho pelo zagueiro Menezes. Era a fortificação da defesa.

O jogo não chegou a ser equilibrado. Mas a persistência do Bahia levou a Gabriel Bispo ser expulso por falta. Ele já havia recebido cartão amarelo. Sem seu guardião, a defesa feirense ficou mais vulnerável. E aos 52 minutos Rogério recebe passe destro da área e bate cruzado, empatando o jogo.

Quais esquemas táticos Barbosinha e Roger usarão no domingo que vem? Eu aposto em esquemas iguais, o que deve tornar o jogo mais parelho. Pois então, que vença o melhor!