Política

Bolsonaro chamou Bolsa Família de "farelo" e Haddad lembra

O petista, além de resgatar a fala, questionou se o presidente acredita se vai melhorar a aprovação no Nordeste com a medida tomada nesta quinta-feira (11)

Foto: Paulo Uchôa/Arquivo Leia Já

No dia em que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) assinou o decreto que estabelece a criação do 13º para beneficiários do Bolsa Família, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) relembrou, no Twitter, um argumento do presidente, exposto em 2010, chamando o programa de “bolsa farelo”.

“O Bolsa-farelo (família) vai manter esta turma no Poder”, publicou Jair Bolsonaro em 1º de abril de 2010. Ao resgatar a afirmativa, o petista fez ironias diante da concessão do 13º nesta quinta (11) e observou que apesar de já ter completado 100 dias, o governo não concedeu reajustou o benefício.

“Será que 1/12 do bolsa-farelo (13ª parcela) vai reverter sua situação no Nordeste? Lembrando que você não reajustou o benefício nem pela inflação e seu governo ofende os nordestinos a todo instante”, disparou Haddad. O programa Bolsa Família, carro chefe das gestões do PT, tem maior abrangência no Nordeste  a popularidade do presidente na região não é das melhores.

A criação do 13º da iniciativa foi uma das promessas de campanha do presidente, que derrotou Fernando Haddad nas urnas em outubro. Em defesa de Jair Bolsonaro, o filho dele e vereador do Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro (PSL), rebateu: “Chora marmita!!!”. Haddad já foi chamado diversas vezes de "marmita de Lula" pelos componentes da família Bolsonaro. Haddad, por sua vez, alfineta Carlos: "o priminho está bem?", protagonizando mais uma discussão entre os dois pelas redes sociais após o início do governo.