Saúde

Sapato com salto alto provoca lesões nos pés das mulheres

Cerca de 25% das mulheres dizem sentir dores intensas

Foto: Freeimages/Creative Commons
O salto alto é o principal causador de dores nos pés
O salto alto é o principal causador de dores nos pés

Ficar em cima do salto alto por algumas horas pode ser um desafio, pois  o uso frequente desse calçado pode fazer com que apareçam dores, incômodos, e até lesões nos pés, como a metatarsalgia, uma condição muito comum em mulheres. A metatarsalgia é uma inflamação na ponta dos pés que acontece devido ao excesso de pressão nesta região. Pessoas com pés cavos, sobrepeso, idosos e corredores também estão mais propensos a desenvolver esse problema.

De acordo com a pesquisa “O salto alto e a mulher brasileira”, realizada com 3316 brasileiros e desenvolvida em 2017 pela empresa de palmilhas ortopédicas Pés Sem Dor, as mulheres são o público mais atingido pelas dores nas pontas dos pés. O salto alto é o principal causador desse problema. Cerca de 75% delas,  dizem sentir dores mesmo quando não usam o salto.

Além disso, outro dado importante é que 62,1% das mulheres que sentem dores nos pés usando salto alto não conseguem permanecer mais de duas horas em pé sem sentir dores, sendo que 100% indicaram dor em algum osso do metatarso. Essa dor pode evoluir para uma metatarsalgia, e se não tratada, pode causar lesões no nervo da ponta dos pés.

O uso desses calçados e o sobrepeso são os principais motivos dessa condição. "As mulheres têm em média 7,4 pares de sapatos de salto. 95,7% delas sentem dores nos pés quando usam esse tipo de calçado", explica Mateus Martinez, Diretor de Fisioterapia da Pés Sem Dor.

Calçados muito apertados, com bico fino e com pouco espaço interno na região dos dedos, tendem a comprimir a região dos metatarsos, causando dores. 


A imagem ilustra como ficam posicionados os pés dentro do calçado, do mais estreito ao mais largo

Calçados de salto alto jogam o peso do corpo para frente, fazendo com que o apoio principal seja a cabeça dos metatarsos. Eles também elevam muito as pressões na região anterior do pé e comprimem os dedos e ossos. 


A imagem mostra a distribuição de carga de acordo com a altura do salto utilizada

O primeiro quadro (sem salto), mostra a distribuição ideal das cargas nos pés. Os demais mostram a distribuição das cargas de acordo com a altura do salto, sendo que quanto mais alto o salto utilizado, menor é a carga no calcanhar e maior é a sobrecarga na região dos metatarsos.

A intensidade da dor, segundo a maioria das mulheres ouvidas pela pesquisa, é mediana - cinco, em uma escala de 0 a 10. Porém, 25,3% das respondentes disseram que sentem dor intensa (7 a 10).

Alguns cuidados são importantíssimos para não sofrer com a metatarsalgia. "Estar em um peso adequado e evitar calçados com solado fino e com salto são algumas das recomendações. Já os esportistas devem adaptar a carga e o tempo de atividade de acordo com a sua capacidade", alerta Martinez.

Apesar da metatarsalgia aparecer como uma das lesões mais comuns nas mulheres que usam salto, outras condições também aparecem com frequência, tais como dores no tornozelo (46,17%), dores no joelho (37,6%), dores na coluna (44,8%), calos (41,5%) e bolhas (61,9%).

A pesquisa "Saúde e qualidade de vida: A relação com os pés, tornozelos e joelhos" foi realizada em 2017 e ainda traz dados sobre dores, condições e características dos pés, tornozelos e joelhos.

Como reduzir as dores nos pés

Para qualquer dor, o ideal é procurar o auxílio de um especialista para que ele verifique o motivo e indique o melhor tratamento. Em relação à metatarsalgia, algumas medidas básicas podem ser tomadas para amenizar os desconfortos na região. Veja abaixo algumas:

Calçados - A medida mais simples e eficaz é escolher bons sapatos. Evitar calçados de bico fino e de salto alto pode influenciar (e muito) na melhora das dores. Isso porque os dois modelos comprimem e sobrecarregam a região anterior dos pés, o que favorece o desenvolvimento da metatarsalgia.

Prefira calçados mais arredondados na região anterior, sem salto e com um bom amortecimento no solado.

Caso o uso de sapatos sociais e de salto sejam indispensáveis para o seu trabalho, procure uma palmilha para redistribuir o peso e melhorar a acomodação dos seus pés.

Gelo - O gelo é um ótimo aliado contra as dor e processos inflamatórios. Congele uma garrafa de água. Em seguida, deslize-a sobre a região de dor, de 15 a 20 minutos. A aplicação também pode ser feita com uma bolsa de gelo ou com um balde de água gelada.

Massagem - Massagear a frente dos pés relaxa a musculatura e diminui a rigidez dos tecidos. Dessa forma, tanto o posicionamento das estruturas quanto a circulação sanguínea do local melhoram. Assim, o controle da inflamação e a recuperação dos tecidos lesados ficam mais rápidos e eficientes.

Prática esportiva - Um dos fatores que pode aumentar as chances da metatarsalgia é a prática de esportes que sobrecarregam a parte da frente dos pés.

Atividades que exigem muito impulso, saltos e mudanças bruscas de direção, geralmente, desgastam as estruturas dessa região. Deixar tais atividades de lado, durante os períodos de dor intensa, pode ser necessário para o corpo se recuperar.

Para que a sua saúde não seja comprometida, veja alguns exercícios com menor impacto nos pés, que ajudarão a manter o condicionamento físico.

-- Transport: esse aparelho consegue queimar mais calorias do que a esteira, quando os movimentos são realizados corretamente: com amplitude e ritmo. Ele gera um impacto nos membros inferiores bem menor do que em uma corrida ou caminhada. Por isso, o equipamento é aconselhado para pessoas que tem problemas nos pés, tornozelos e joelhos.

-- Remo: é um ótimo exercício aeróbio, que fortalece bastante o tronco, os braços e os membros inferiores. Caso você não tenha onde praticar esse exercício, algumas academias possuem aparelhos que simulam o movimento da remada, proporcionando efeitos similares.

-- Pilates: é um método de exercício que trabalha o movimento do corpo todo, a fim de melhorar a força muscular, flexibilidade e postura. Por ter muitos exercícios de estabilidade, o pé sofre muito pouco com os impactos.

Fortalecimento dos pés

A musculatura interna dos pés (musculatura intrínseca) é, geralmente, negligenciada e pouco trabalhada quando existe dor. Porém, a funcionalidade desses músculos é fundamental para que as estruturas locais tenham um bom posicionamento.

Quando a musculatura apresenta insuficiências, o amortecimento dos pés piora e os metatarsos ficam mal posicionados, o que predispõe a inflamação dos tecidos ao redor.