Artes Visuais / Cidade

Fotógrafa explora a "Bahia Negra" em exposição no Palacete das Artes

Sinisia Coni inaugura terça-feira mostra com 30 imagens em preto e branco

Foto: Fotos Sinisia Coni/Reprodução
A Bahia negra com seus costumes, formas e sotaques faz parte do universo de Sinisia Coni
A Bahia negra com seus costumes, formas e sotaques faz parte do universo de Sinisia Coni

No Dia da Consciência Negra, 20 de novembro, às 19h, o Palacete das Artes abrirá a exposição "Negra Bahia", da fotógrafa Sinisia Coni. A mostra conta com 30 imagens em preto e branco que exaltam a afrobaianidade.

Com formação superior em História pela Ufba e em Design de Interiores pela Panamericana de Arte SP, Sinisia Coni nasceu em Salvador, em 1949. Desde cedo, esteve muito envolvida com a fotografia, pois seu pai era um homem ligado a essa arte. 

"Sou 'street photographer' e meu objetivo maior é capturar imagens de diferentes povos e culturas, principalmente na minha terra, possuidora de um cenário riquíssimo, tanto no cotidiano do nosso povo, como nos eventos populares, religiosos, cívicos. Em tudo que olho, vejo, sinto, registro com minha alma ou minha câmera. Fotografia é para mim um amor cuja essência é momento, sentimento e luz", declara a artista.

De acordo com o professor e arquiteto Francisco Senna, Sinisia apresenta um trabalho artístico antropológico, sensível, erudito, cativante e belo. "Sua fotografia é envolvente e educadora, documental e artística, revelando-nos um olhar contemporâneo e apaixonado, autêntico e fiel à natureza e dignidade do ser humano". E ainda: "'Negra Bahia' é uma exposição que celebra nossa afrobaianidade".

Curador de fotografia da Fundação Pierre Verger, Alex Baradel lembra que nos últimos anos Sinisia se dedicou integralmente à arte de fotografar, e seus registros renderam mostras no Brasil e no exterior, a exemplo de "Terra Brasil", "Olhar Viajante" e "Bahia Brasil Quotidiano", em Portugal; "Artists Across Continents", na Noruega; e "Artcom Internacional", no Carroussel du Louvre, França.

"Há muita paixão na cultura baiana. Paixão é a palavra que caracteriza seus excessos, suas explosões de felicidade, de tristeza, às vezes de violência. Nesse aspecto, este trabalho de Sinisia realizado na Bahia não é muito baiano, pois trata do romantismo. Nestas imagens, nada de erupção, nenhum extremismo ou sol escaldante, mas, um céu coberto de nuvens, uma suave melancolia caracterizada pela postura das pessoas perdidas no seu ambiente de vida. Suas imagens fogem do tempo, ou melhor, param-no”.

Em texto publicado no site da fotógrafa, o editor da revista "Diversos Afins", Fabrício Brandão, diz que a fotógrafa baiana não está inclinada a conduzir buscas frívolas por lugares e pessoas, não realiza fotografia acidental, mas cria um envolvimento intencional com o que aparece na frente de seus olhos. "Percebemos isso quando cores, formas, sombras e rostos emanam de suas próprias, múltiplas linguagens no ritual mais natural possível. Sem ingredientes artificiais ou arranjos premeditados, Sinisia Coni é uma testemunha genuína para o mundo, seus arrebatamentos e seu povo". 

Anote:
O quê: Exposição "Negra Bahia”, de Sinisia Coni 
Onde: Palacete das Artes - Rua da Graça, 284 (Graça)
Quando: Abertura dia 20/11 (terça-feira), às 19h. Visitação até 27 de janeiro de 2019, de terça a sexta, das 13h às 19h, e sábados, domingos e feriados, das 14h às 18h