Política

No Recife, Boulos diz que 'Nordeste deu uma lição'

"O Nordeste brasileiro deu uma lição para o resto do Brasil de como se vota", falou na noite desta segunda (12)

O ex-candidato a presidente do Brasil e líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, desembarcou no Recife para participar de um debate na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Em um espaço improvisado em Frente ao Centro de Educação, Boulos começou seu discurso parabenizando à parcela do povo pernambucano que não votou no presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

“Vocês sabem, eu moro em São Paulo, a minha mãe é nordestina e eu cresci a vida toda com o preconceito da gente de São Paulo dizendo que o nordestino não sabe votar. O Nordeste brasileiro deu uma lição para o resto do Brasil de como se vota”, ressaltou.

O líder do MTST também agradeceu os votos que recebeu no primeiro turno. “E quero dizer que saímos deste processo, eu e Sônia Guajajara, com o sentimento profundo de missão cumprida”, ressaltou falando que “sementes para o futuro” foram plantadas. “Quando a gente planta nem sempre o tempo de colheita é o tempo que gostaríamos, mas esse futuro virá, eles queiram ou não queiram”, avisou.

Durante seu discurso para um pátio repleto de estudantes, Boulos também pediu por uma reflexão sobre o momento vivido e os desafios postos. O dirigente disse que, em 2014, o então candidato a presidente Aécio Neves não aceitou o resultado da eleição e levou o país à crise.

Sobre a disputa eleitoral deste ano, ele garantiu que “não há o choro dos perdedores”. Mas, afirmou que a eleição foi marcada pelo ódio e por um candidato que “fugiu” do debate para “soltar mentiras” no WhatsAp. Boulos salientou que Bolsonaro teve a maioria dos votos e que venceu a eleição, mas que não para imperador ou para ditador.

“Ele não pode tudo”, disse declarando também que o capitão da reserva vai ter que respeitar a liberdade de manifestação e respeitar a constituição. Ele ainda disse que o erro mais grave é acreditar que todo mundo que votou em Bolsonaro é fascista, mas que muitos estavam desiludidos com o sistema político atual.

“Bolsonaro sequestrou essa desilusão. O povo que votou por desilusão acreditou nele”. Boulos falou que acredita que essas pessoas que estão desiludidas em poucos meses irão descobrir a farsa que ele montou.

“E nós estaremos abertos para conversar com essas pessoas. Não vai ser com xingamento e sim dialogando. O desafio é desmontar o esquema de ódio, a pauta dele é desastrosa para o Brasil”. Entre mais críticas, Guilherme Boulos falou que há 28 anos Bolsonaro recebe auxílio-moradia mesmo tendo casa e que durante todo esse tempo nunca fez um projeto de importância.