Cidade / Educação / Segurança

Alunos de escola particular trocam mensagens machistas e misóginas no WhatsApp

Um dos alunos sugere que 'deveria ser criado o Ministério da Tortura'

Alunos do Colégio Antônio Vieira, no bairro do Garcia, tiveram conversas de cunho ofensivo no WhatsApp vazadas.  Em um grupo intitulado 'Direita Delirante', de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PSL), os estudantes trocam mensagens de conteúdo machista, racista e misógino 

Nas conversas, os alunos sugerem que "todos os bandidos sejam enviados para reservas indígenas", que "deveria ser criado o Ministério da Tortura que seria mais importante que o da cultura", que deveriam  torturar feministas,  "torturar essas p*tas dando umas 5 facadas logo" e  por fim, "dar uma paulada na cabeça" de uma professora.

O Colégio Antônio Vieira informou que repudia as mensagens ofensivas e irá  apurar o ocorrido.