Esportes

CBF cobra Conmebol por expulsão de Dedé

Juiz expulsou o zagueiro do Cruzeiro após um lance involuntário

A CBF encaminhou ofício à Conmebol no fim da tarde desta quinta-feira, apontando seu "inconformismo" e cobrando uma investigação sobre a atuação do árbitro paraguaio Eber Aquino na partida entre Boca Juniors e Cruzeiro, disputada na noite de quarta e vencida pelo time argentino por 2 a 0. Na ocasião, o juiz expulsou o zagueiro brasileiro Dedé após um lance involuntário, e isso depois de ter consultado o árbitro de vídeo (VAR). O documento é assinado pelo Diretor Executivo de Gestão da entidade, Rogerio Caboclo.

No ofício divulgado nesta quinta-feira, a CBF pede a adoção de medidas diante dos danos causados ao Cruzeiro no confronto. A entidade avalia que o erro foi grave, pedindo explicações e também a adoção de uma investigação.

"A CBF registra seu inconformismo com a decisão da arbitragem e solicita que a Conmebol, valendo-se de suas instâncias funcionais, tome todas as providências cabíveis no sentido de fazer justiça em relação ao dano causado ao Cruzeiro Esporte Clube e ao atleta. Sugere ainda que uma investigação seja aberta pela Conmebol para completa apuração do ocorrido em relação à indevida intervenção do VAR neste episódio, dando transparência à decisão do árbitro no momento do lance", diz trecho do documento.

A CBF também reclama de suposto uso incorreto do VAR no lance da expulsão de Dedé por Eber Aquino. O árbitro paraguaio mostrou cartão vermelho direto para Dedé após dividida casual com o goleiro Andrada e atrapalhou o time mineiro, que levou o segundo gol minutos depois, de Pablo Pérez.

"Sugere ainda que uma investigação seja aberta pela Conmebol para completa

apuração do ocorrido em relação à indevida intervenção do VAR neste episódio, dando

transparência à decisão do árbitro no momento do lance", acrescenta.

Na avaliação de CBF, o erro do árbitro pode colocar em risco a credibilidade do VAR, que começou a se adotado recentemente no futebol sul-americano pela Conmebol. "A CBF faz isso não apenas no cumprimento do dever de apoiar sua agremiação filiada, mas no interesse de proteger a credibilidade do Sistema de Assistência Arbitral por Vídeo", diz.

"O VAR é uma ferramenta fundamental para a melhoria do nosso futebol, mas para isso

precisa da confiança das entidades, atletas, agremiações e torcedores. Isso só acontecerá se erros como o ocorrido na partida de ontem forem prontamente reconhecidos e corrigidos", concluiu a CBF.