Mundo

Primeiras 4 crianças são resgatadas da caverna na Tailândia

Grupo preso tinha 12 garotos entre 11 e 16 anos e professor de 25

Foto: Thai Navy Seal
As condições do resgate são de alto risco
As condições do resgate são de alto risco

Segundo informações da imprensa local, outros dois estão sendo retirados. Restam ainda seis meninos e o professor.Numa corrida contra o tempo e a volta de fortes chuvas previstas pelos serviços de meteorologia, a equipe que trabalha no resgate de 12 garotos e um treinador que estão presos há 15 dias em uma caverna no norte da Tailândia já conseguiu retirar, ao menos, quatro garotos, segundo informações da marinha tailandesa. 

Os trabalhos de resgate começaram às 10h no horário da Tailândia (meia noite no Brasil) e a estratégia era deixar os garotos em melhor condição física, além do treinador, como os últimos a serem retirados. As famílias deles estão no hospital aguardando notícias. 

Para que os meninos possam sair da caverna, que tem câmaras inundadas pelas enchentes que atingiram a região no período de monção, áreas foram drenadas para permitir a passagem dos garotos.

13 mergulhadores estrangeiros e 5 da Marinha tailandesa entraram na caverna na madrugada deste domingo (8/8), horário do Brasil, para tentar a retirada dos meninos, um de cada vez, por um mergulho perigoso através de túneis alagados.

O funcionário que comanda a operação para resgatar 12 garotos e seu técnico de futebol de uma caverna no norte da Tailândia disse que a operação está "melhor que o esperado".

O governador em exercício de Chiang Rai, Narongsak Osatanakorn, fez o comentário em uma coletiva de imprensa na noite deste domingo, no horário local, depois que equipes de resgate retiraram quatro garotos da caverna onde ficaram presos por mais de duas semanas. Narongsak disse que os quatro foram levados para um hospital. Ainda não há informações sobre o estado de saúde dos meninos.

Narongsak disse que os mais saudáveis foram retirados primeiro, e a próxima fase da operação começaria em 10 a 20 horas. 

Os riscos

Embora as equipes de resgate tenham conseguido retirar uma grande quantidade de água do sistema de cavernas, a maior parte da jornada ainda é muito traiçoeira. Um mergulhador experiente leva até 11 horas para uma viagem de ida e volta.

Para retirar as crianças será preciso percorrer passagens estreitas, escuras, com água lamacenta e correntes fortes. Na sexta-feira (6), um mergulhador experiente morreu por falta de oxigênio.


Há locais com forte correnteza - Foto: Thai Navy Seal

Os mergulhadores consideram a parte mais perigosa da missão uma porção que eles chamam de sifão: uma passagem pequena demais para se atravessar enquanto se usa um tanque de ar. Navegar no sifão exigiria que os meninos viajassem parcialmente sem os equipamentos e contassem com os mergulhadores para transportar seu aparelho de respiração.

Fortes chuvas são esperadas para os próximos dias, e o ar dentro da caverna caiu para níveis preocupantes. Autoridades disseram no sábado que o oxigênio tinha caído para cerca de 15% - níveis seguros normais ficam em torno de 21%, e uma queda para 12% poderia afetar as funções cerebrais. O excesso de dióxido de carbono é também uma preocupação.

Durante dias, coordenadores de resgate adiaram a decisão de levar os meninos para fora da caverna, preferindo esgotar outras opções, como fazer um buraco a partir da parte superior da montanha ou drenar mais água de Tham Luang, um dos maiores sistemas de cavernas da Tailândia.

O resgate através de passagens parcialmente submersas é considerado altamente perigoso, mesmo para os mais aptos e experientes mergulhadores de cavernas. 

Esforços para perfurar a montanha de seu topo até onde a caverna está localizada foram mal sucedidos até agora. O governador Narongsak disse que as equipes de perfuração fizeram mais de 100 buracos, acrescentando que algumas chegam a 400 metros de profundidade, em uma tentativa de localizar os meninos.


Mesmo mergulhadores experientes correm risco de morrer por falta de oxigênio - Foto: Thai Navy Seal

Os 12 meninos entre as idades de 11 e 16 anos, membros de uma equipe de futebol, e seu treinador de 25 anos, ficaram presos na caverna Tham Luang no dia 23 de junho, quando chuvas repentinas inundaram  saída.

Mais de 1.000 pessoas e elo menos sete governos estrangeiros se envolveram nas buscas, dificultadas por chuvas e inundações, que bloquearam a entrada principal da caverna de aproximadamente 10km de comprimento. 

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se manifestou via Twitter sobre a participação do país na missão de resgate de 12 meninos e um professor presos em uma caverna no norte da Tailândia.

"Os EUA estão trabalhando de forma muito próxima com o governo da Tailândia para ajudar no resgate de todas as crianças para fora da caverna com segurança. Pessoas muito corajosas e talentosas!", escreveu Trump em seu Twitter.