Brasil

Bisavó é denunciada por enterrar criança viva

Ela é a bisavó da bebê indígena Analu Paluni Kamayura Trumai, enterrada viva por quase seis horas

O Ministério Público do Estado do Mato Grosso, através da Promotoria de Justiça de Canarana, denunciou Kutsamin Kamayura, de 57 anos, por tentativa de homicídio duplamente qualificado. Ela é a bisavó da bebê indígena Analu Paluni Kamayura Trumai, enterrada viva por quase seis horas.

As investigações apontam que o crime ocorreu no dia 5 de junho, logo após Kustsamin auxiliar no parto da neta Maialla Paluni Kamayura Trumai, de 15 anos. Após cortar o cordão umbilical, a bisavó enrolou a vítima em um pano e enterrou no quintal em uma cova de aproximadamente 50 cm, segundo o MP.

De acordo com o promotor de Justiça Carlos Rubens de Freias Oliveira Filho, a família não aceitava a gravidez de Maialla por ela ser solteira. O crime teria sido premeditado semanas antes do nascimento da criança. 

A recém-nascida foi resgatada por policiais e transferida para   Santa Casa de Misericórdia em Cuiabá, onde permanece internada na UTI. Kutsamin Kamayura cumpre prisão preventiva an Funai em Gaúcha do Norte.