Segurança

Quadrilha vendia drogas no cartão no Estado do Paraná

Operação policial prendeu 12 pessoas suspeitas de integrarem a quadrilha

Foto: Divulgação

"Débito ou crédito, nós até parcela (sic)" dizia trecho de uma das conversas interceptadas de uma quadrilha desbaratada pela Polícia Civil do Paraná neste final de semana. A organização criminosa agia em Curitiba e Campina Grande do Sul vendendo ecstasy, cocaína, maconha e crack usando uma máquina de cartão de crédito.

Ao todo, 12 pessoas da organização foram presas pela Divisão de Narcóticos (Denarc) da polícia. Entre os alvos está Karime Dayane Reis Galdino Stavitski, moradora da casa onde a máquina de cartão foi encontrada.

Nos últimos quatro meses, foram vendidos R$ 16 mil em drogas só pelo cartão, conforme extrato da máquina. A polícia suspeita que o lucro fosse bem maior. “Com comércio dos entorpecentes a quadrilha arrecadava por volta de R$ 2 mil por dia apenas com cocaína", afirmou a delegada do Denarc, Camila Ceconello. 

As investigações duraram dois meses. Nesse período, foram descobertos dois locais de confecção de drogas sintéticas e cocaínas. Em tais endereços foram apreendidos prensa para confecção de tabletes de drogas, máquina para embalar entorpecente, glicose, cafeína, pipetas, filtro, corante e pilão para a confecção de comprimidos de ecstasy, além de outros itens utilizados na mistura da cocaína. Segundo a Polícia Civil, as drogas eram vendidas em festas, bares e nas ruas do Centro de Curitiba.

Durante toda a investigação, a Denarc confiscou 500 gramas de cocaína, 210 crack, 4,5 quilos de maconha, 50 comprimidos de ecstasy, dois quilos de produtos para mistura de cocaína, 47 munições calibre 38, dois revólveres de mesmo calibre, prensa, balanças de precisão e R$ 5 mil em espécie. 

A Denarc agora vai aprofundar as investigações para identificar outros traficantes e a origem das drogas. A operação contou com o apoio da Guarda Municipal de Curitiba e de Campina Grande do Sul.