Política

Marco Feliciano critica forma que a igreja "faz política"

"Poderíamos hoje definir qualquer eleição, mas nós não temos uma liderança", disse o deputado federal sobre os evangélicos

O deputado federal Marco Feliciano (PSC), por meio do seu facebook, deixou uma mensagem para a igreja evangélica. Feliciano, que também é pastor, disse que os evangélicos poderiam definir qualquer eleição, mas que não existe uma liderança. “Deixo uma mensagem para que a igreja pense e repense a sua maneira de fazer política. Somos 30% do país, isso dá cerca de 60 milhões de evangélicos. Poderíamos hoje definir qualquer eleição, mas nós não temos uma liderança”.

Feliciano falou sobre a rivalidade que existe entre alguns religiosos. “Se procuramos o pastor da igreja A, o pastor da igreja B fica bravo, Se procuramos o pastor da igreja B, o pastor da igreja C fica triste conosco, ou seja, não há como falar com o movimento evangélico nacional porque nós não temos liderança, ora de pensar isso, hein? “, ressaltou o deputado. 

“Eu me lembro que, em 2013, a presidente Dilma mandou me chamar através dos seus assessores e disse que falar com a igreja católica nós chamamos a CNBB e falamos com todos os católicos do Brasil, mas para falar com os evangélicos, quem nós procuramos?”, recordou. 

Marco Feliciano se definiu como “um pastor sem pedigree” e garantiu que não possui apoio das grandes instituições religiosas. “Vocês sabiam disso? Notem que quando se aproxima o ano eleitoral, simplesmente eu desapareço dos grandes púlpitos do estado de São Paulo. Eu não tenho apoio dos grandes líderes para campanha política, por exemplo, mas eu tenho o apoio do povo porque represento com alegria e que me sustentam com suas orações”. 

Ele ainda lembrou que recebeu 400 mil votos na eleição de 2014, sendo o terceiro deputado federal mais votado em São Paulo e o quarto parlamentar mais votado do Brasil.