Brasil / Política

Autora do impeachment de Dilma questiona existência do PT

"Eu não sei como esse partido ainda existe"', disparou Janaína Paschoal

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
"É surreal ver parlamentar do PT aplaudindo a invasão do triplex", disse

A jurista Janaína Paschoal, uma das autoras do processo que baseou o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), questionou, nesta segunda-feira (16), o apoio dos parlamentares petistas à ocupação do triplex no Guarujá (SP), atribuído ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como pagamento de propina da empreiteira OAS. 

“É surreal ver parlamentar do PT aplaudindo a invasão do triplex. Eu não sei como esse partido ainda existe”, disparou Janaína, em publicação no Twitter. O local foi ocupado na manhã de hoje por membros do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e a Frente Povo Sem Medo.

 

 

Ela não foi a única a criticar a ocupação nas redes. "O Triplex é do Lula, mas não o prédio. Existem diversos moradores que não têm culpa nenhuma do último andar ter sido destinado ao líder petista", refutou o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson.

A ocupação do triplex do Guarujá aconteceu no início da manhã de hoje. Cerca de 30 membros do MTST estão dentro do apartamento e exibem faixas com frases como "Se é do Lula é nosso!" e "Se não é por que prendeu?". Além dos que já entraram no prédio, um grupo também está em frente ao triplex entoando palavras de ordem como “ou solta o Lula ou não vai ter sossego”. 

O ex-presidente Lula está preso desde o último dia 7 na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba. Ele foi condenado a 12 anos e um mês de prisão, em regime fechado, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. De acordo com a sentença, dada pelo juiz Sérgio Moro e confirmada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª região (TRF4), Lula recebeu R$ 2,2 milhões da OAS em troca de contratos com a Petrobras.