Curiosidades

Como decorar o quarto de um filho

A arquiteta Júlia Leal selecionou 10 dicas. Confira!

O quarto é um local íntimo, que remete nossa personalidade e nos transmite segurança e proteção. Mas como decorar o quarto de um filho? Espaço que influenciará no seu desenvolvimento, onde ele precisa sentir o máximo de alegria, conforto, tranquilidade e que estimule nas práticas de estudos e brincadeiras.

A arquiteta, urbanista e designer de interiores, Júlia Leal, selecionou algumas ficas para te inspirar nessa empreitada. Confira:

1. NÃO DEIXE DE LADO A OPINIÃO DE SEU “MINI CLIENTE”. Dentro dos limites (de bom senso e financeiro), deixe-o participar ativamente das escolhas dos itens de seu espaço na casa, incluindo os tipos de móveis e objetos de decoração. Lembre-se: Eles também possuem necessidades e desejos que precisam ser atendidos.

2. TABELA DE CORES. A base mais fácil de trabalhar é a neutra, pois não são cores cansativas. Branco, cinza claro e tons pasteis refletem a luz natural, tornando o ambiente mais claro. Elas são ótimas cores para paredes e móveis neste ambiente, tornando-o mais leve e menos enjoativo. Sim, lógico que um quarto infantil precisa de cores vivas também, inclusive é recomendado para o estímulo da  riatividade e alegria nessa idade! Cuidado no uso delas! As coloque nos detalhes, como cortinas, cor do nicho, mantas e luminárias, podendo remove-las ou trocar a peça com facilidade.

3. FUNCIONAL E CRIATIVO. Com as cores já definidas, escolha um estilo visual a ser seguido. Crie algo útil, porém tendendo ao lúdico e educativo. Por exemplo, faça do seu trocador de fraldas uma futura escrivaninha para ele estudar e ler ou já planejar o local do berço pensando no tamanho da cama que virá.

4. ESTILO. Hoje você consegue utilizar mais de um estilo em apenas um ambiente, mas sempre bom entender um pouco de cada um para utiliza-lo com mais sabedoria. O estilo provençal é leve e sofisticado, muito bom para quartos de bebês. O retrô, que está muito em alta no mercado, gostamos de colocar nos detalhes, para que não fique tão carregado, como nas cortinas, papeis de parede, pés das poltronas, criado mudo, cama e berços. Já o minimalista permite muitas combinações, mas sem exageros. E o rústico remete melhor ao aconchego, com peças em crochê, fibras e madeiras naturais.

5. ESPAÇO. Avalie qual o mobiliário que realmente é necessário para que não haja acúmulos/entulhos. Deve haver um local definido e de fácil acesso para guardar as roupas e objetos (escolares e brinquedos), área para as brincadeiras, estudos e descanso. Cada canto pode ser bem aproveitado com prateleiras, nichos, gavetas, baús e o melhor: Tudo isso integrado na decoração!

6.ALERGIA. Caso seu filho seja alérgico a poeira ou tenha algum problema respiratório, todos os itens da decoração (Móveis e acessórios) precisam ser de fácil manutenção e limpeza, pois precisam tê-las com mais frequência.

7. JANELAS. Elas não devem ser obstruída por móveis, coloque uma cortina coerente com a decoração total, mas deixe a luz natural adentrar no ambiente no dia a dia.

8. ILUMINAÇÂO ARTIFICIAL. Ela faz toda em um projeto! Depois de definido o layout, pense na iluminação para cada detalhe, valorizando tudo o que precisa ser valorizado.

9. “PEQUENOS ARTISTAS”. É essencial um espaço para ele expressar e expor sua criatividade, incentive-o!

10. EVITE ACIDENTES. Coloque os objetos, brinquedos e livros que seu filhos mais utiliza em fácil acesso, em locais mais baixos, para que ele pegue com facilidade e não os largue atoa pós uso, uma vez que tem dificuldade de acessar o local.