Cidade

Fórum Social espera reunir cerca de 60 mil pessoas em Salvador

Entre as presenças confirmadas estão a dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff

Foto: Paula Fróes
Indígenas do sul da Bahia participaram da marcha de abertura do Fórum
Indígenas do sul da Bahia participaram da marcha de abertura do Fórum

Uma marcha pela região central da cidade abriu em Salvador, nesta terça-feira (13/3), o Fórum Social Mundial (FSM 2018). É a primeira vez que o evento é realizado em uma cidade do Nordeste desde que foi criado, em 2001. Uma comunidade indígena do sul da Bahia realizou o “toré”, ritual sagrado que celebra a amizade.

Segundo os organizadores, são esperadas cerca de 60 mil pessoas de 120 países, reunidas para debater e definir novas alternativas e estratégias de enfrentamento ao neoliberalismo, aos golpes e genocídios que diversos países enfrentam na atualidade.

Com mais de 1.500 coletivos, organizações e entidades cadastradas, e em torno de 1.300 atividades autogestionadas inscritas, o Fórum reunirá representantes de entidades de países de todos os continentes.

O evento vai abordar temáticas como democratização da economia, educação e ciência, feminismo e luta das mulheres, democracia e conquista de direitos.

Presenças

Entre as presenças confirmadas estão a dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, Fernando Lugo, do Paraguai, José Mujica do Uruguai e Cristina Kirchner da Argentina.

Participarão também intelectuais, pensadores e militantes da esquerda mundial como o sociólogo português Boaventura de Sousa Santos, a militante indígena Sônia Guajajara, a presidente da Federação Democrática Internacional de Mulheres (FDIM), Lorena Peña, o filósofo do Congo Godefroid Ka Mana Kangudie, Abdellah Saaf, ex-ministro da Educação de Marrocos; Eda Duzgun, liderança das mulheres curdas; Sara Soujar, do Movimento de Combate ao Racismo e Xenofobia do Norte de Marrocos; Mamadou Sarr, militante da Mauritânia para defesa dos negros; e Gustave Massaih, membro fundador do movimento de Maio 68, na França.

Programação
Assembleias,Tribunais e Marchas

Quarta – dia 14
Pela manhã, será realizado o Tribunal contra os Despejos, na Faculdade de Arquitetura da UFBA. Às 9h, ocorre o Tribunal Popular para Julgamento dos Crimes de Feminicídio contra as Mulheres Negras, no auditório do IFBA; à tarde, a partir das 14h, Marcha das Mulheres Contra o Racismo, com concentração no Largo do Campo Grande; no mesmo horário será realizada a Assembleia Mundial da Juventude, no Acampamento Intercontinental das Juventudes, que será montado no Parque de Exposições de Salvador.

Quinta – dia 15
Às 17h, ato em Defesa da Democracia, no Estádio de Pituaçu, com as presenças dos ex-presidentes Lula, Dilma, Lugo (Paraguai) e Mujica (Uruguai).

Sexta – dia 16
Assembleia Mundial dos Povos, Movimentos e Territórios em Resistência, às 14h, no Acampamento dos Povos Indígenas, no Centro Administrativo da Bahia

Sábado – dia 17
Pela manhã, será realizada a Ágora dos Futuros, com a apresentação dos resultados das atividades do FSM, na Praça das Artes, campus de Ondina da UFBA.

Assembleia Mundial das Mulheres
Na manhã de sexta (16), a Assembleia Mundial das Mulheres será a única atividade na programação oficial do FSM, com possibilidade de acontecer no centro histórico de Salvador. A exclusividade tem como objetivo garantir que as mulheres com outras agendas políticas no Fórum estejam liberadas para debater questões de gênero, pautas feministas e lutas das mulheres, como a criminalização do aborto, o feminicídio, o combate contra a violência da mulher e o machismo, entres outras.

Acampamento Intercontinental da Juventude
Nesta edição, ocupará o Parque de Exposições Agropecuárias de Salvador, a partir deste domingo (11) até o próximo (18), com capacidade para receber cerca de 6 mil jovens. Atos, shows e assembleia farão parte das atividades do Acampamento Intercontinental da Juventude (AIJ), que terá ainda uma vila gastronômica da economia solidária, palcos para apresentações culturais e debates. 

Segurança

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) está apoiando o Fórum Social Mundial 2018 com um esquema especial de segurança para garantir tranquilidade aos participantes. Diversas unidades da Polícia Militar reforçarão o policiamento no entorno dos locais onde ocorrerão as atividades do evento.

Já a Polícia Civil vai reforçar o efetivo da 12ª Delegacia Territorial (DT/Itapuã), responsável pela área do Parque de Exposições, na avenida Paralela, onde muitos visitantes ficarão acampados.

Além do policiamento, a SSP monitorará áreas próximas as atividades, por meio do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), no Centro de Operações e Inteligência.

Segundo o coronel PM, Paulo Uzeda, comandante de operações da corporação, diversas unidades vão reforçar a segurança do evento, como as 12ª, 14ª, 17ª e 41ª Companhias Independentes da Polícia Militar (CIPMs), além das especializadas, como o Grupamento Aéreo (Graer), Esquadrão Águia e o de Polícia Montada. 

De acordo com a delegada Fernanda Porfírio, diretora do Departamento de Polícia Metropolitana (Depom), a organização do evento encaminhou todo o cronograma das atividades e os locais onde acontecerão. “Participamos das reuniões de alinhamento do fórum, e nossas unidades estarão a postos, caso aconteça alguma ocorrência, como a Central de Flagrantes, no Iguatemi”, explicou Porfírio.