Alberto Oliveira

Para onde foi o FGTS das contas inativas

Isso e Aquilo - Alberto Oliveira

Pesquisa da Boa Vista SCPC identificou que, com o dinheiro do saldo inativo do FGTS em mãos, 21% dos trabalhadores priorizaram o pagamento da fatura do cartão de crédito em atraso.

Outros 16% optaram por pagar as contas de concessionárias, como água, luz, gás. 10% arcaram com o pagamento de empréstimo pessoal e consignado, e 10% quitaram dívidas com o cartão de loja.

Apenas 14% dos trabalhadores conseguiram liquidar todas as dívidas em atraso usando o saldo inativo do FGTS.

Das contas que ficaram pendentes, o cartão de crédito representa 25%, empréstimo pessoal/consignado (12%), cartão de loja (10%), crediário (9%), contas de concessionárias (8%) e cheque especial (8%). 

Nesta quarta-feira (27/7), o presidente Michel Temer assinou decreto prorrogando até 31 de dezembro de 2018 o prazo para saques de contas inativas do Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (FGTS) apenas para casos de "comprovada impossibilidade de comparecimento pessoal do titular" à Caixa Econômica Federal.

O prazo para o saque se encerraria na segunda-feira, 31.

***

Pra cima de nós, Temer?
Reajustes nos salários do funcionalismo público, concedidos pelo presidente Michel Temer, vão causar um rombo de R$ 50 bilhões nos cofres da União, em quatro anos.

E agora o governo anuncia como um exemplo de que está preocupado com as finanças públicas um Plano de Demissão Voluntária que se conseguir convencer 5 mil funcionários (1% do quadro) economizará R$ 1 bilhão.

Ora, seria necessário que metade dos barnabés caísse fora somente para compensar o estrago feito pela benevolência do governo Temer com os reajustes de salário.

O PDV de Temer e nada são praticamente a mesma coisa.

***

Mais gastos
O auxílio-moradia pago aos juízes (mesmo que eles morem em casa própria), já levou R$ 4 bilhões do erário.

E os procuradores federais acabam de se autoconceder 16% de aumento (a inflação deste ano ficará em torno de 3,5%).

***

Calotes em queda
O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados atingiu 1,83% em junho, registrando redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,28 ponto porcentual).

Com isso, a razão atinge o menor nível desde setembro de 2014, quando alcançou 1,8%.

Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados também obteve queda (em maio o nível foi de 2,11%) frente ao mês anterior, sendo o resultado registrado pela diminuição de 20,5% dos cheques devolvidos e retração de 8,2% para os cheques movimentados.

***

Financiamento da saúde
Começa nesta quarta-feira (26/7) e vai até sexta-feira (28), em Salvador, no Bahia Othon Palace Hotel, o Fórum Brasileiro sobre Assistência Farmacêutica e Farmacoeconomia.

A 5ª edição do evento reúne gestores de saúde de todo o País para debater o financiamento da assistência farmacêutica, o conjunto de ações voltadas para a promoção, proteção e recuperação da saúde, tendo o paciente como foco.

Um dos participantes é o oncologista Simon Sutcliffe, cientista clínico e presidente do British Columbia Agency (BCCA), que traz a perspectiva mundial de como os setores públicos e privados estão enfrentando os desafios do tratamento do câncer.

ÚLTIMAS