Alex Ferraz

Em Tempo - Coluna do dia 26/1/2017

Ele é contra gays, hispânicos, pobres, enfim, tudo que pensamos ter ficado no porão da história há décadas
Em seu delírio de bilionário, Donald Trump, novo presidente dos EUA, já começou botando pra lenhar em cima de conquistas sociais alicerçadas pelo seu oposto, o grande Barack Obama.

Apagou dos sites da Casa Branca e de todo o governo qualquer referência ao público LGBT, fez sumir a tradução para espanhol de todos os textos oficiais on-line e segue em frente bravateando com aquele discurso tipicamente fascista, ainda por cima zombando do imenso público, tanto nos Estados Unidos como em praticamente todo o mundo, que tem ido às ruas protestar contra esse imenso retrocesso social que o Cavaleiro da Trevas representa.

A par disso, reforça sua aliança com Vladimir Putin, um assassino (não sou eu quem digo, mas documentários, inclusive do Discovery, mostram depoimentos até de ex-agentes russos confirmando os crimes cometidos por esse ex-senhor da famigerada KGB) e, de quebra, quanta ironia, começa a agradar Nicolás Maduro, na Venezuela,que, por sua vez, mostrando a real face do “socialismo” venezuelano, é todo elogios para Trump.

Êita mundo veio que está se desgraçando, crendeuspai!

Ainda sobre Trump
No entanto, poder é poder, e grandes redes da mídia televisiva, inclusive no Brasil, além da maior parte da mídia em geral, posiciona-se agora totalmente simpática a Trump, como se tudo isso fosse “natural”.

Sei não, mas tem horas que dá vontade de a gente mandar o jornalismo pra cucuia, sinceramente...

O negócio é dinheiro, ponto final (I)
A verdade é que a boçalidade, arrogância e a mente tacanha de Trump será relevada pelos poderes mundiais diante do que eles podem ganhar com isso.

Vejam, por exemplo, notícia publicada em O Globo, em reportagem assinada por Eliane Oliveira:  ”A saída dos Estados Unidos da Parceria Transpacífico (TPP), confirmada nesta segunda-feira pelo presidente Donald Trump, foi comemorada discretamente pelo governo brasileiro.

Entre as razões para isso, a principal é que os produtos em que o Brasil concorre com os EUA (soja, açúcar, suco de laranja, carne bovina, entre outros) nesses mercados do Pacífico, especialmente o Japão, ficariam mais caros em relação aos americanos se o TPP fosse concretizado.

Isso porque as exportações americanas deixariam de ser tributadas, ao contrário das vendas provenientes do Brasil.”

Delírio
O novo prefeito de São Paulo, pródigo em ações midiáticas, acaba de decretar o fim da arte urbana em murais de ruas, na capital paulista.

Determinou que apagassem, indiscriminadamente, todas as “pichações”, mas parece não ter tido a sensibilidade de avisar à sua tropa que muitas delas eram, na verdade, painéis artísticos muito bem elaborados e que embelezam a cidade onde “a feia fumaça que sobe esconde as estrelas”, como já disse e cantou Caetano, em uma das suas mais brilhantes músicas.

Pois é...

O negócio é dinheiro, ponto final (II)
E mais: “Na avaliação de fontes que estão na linha de frente da política externa brasileira, outro ponto favorável diz respeito às negociações entre Mercosul e União Europeia (UE).

Espera-se que, com essa postura protecionista de Trump, os negociadores europeus voltem a focar o bloco sul-americano.

Mesmo porque as perspectivas em torno da conclusão do Acordo de Parceria Transatlântica de Comércio entre EUA e UE são praticamente nulas neste momento.”

O mundo vai de mal a pior
É por essas e outras que tenho sérias reservas com o entusiasmo infantil de certas lideranças sociais, que acreditam que o mundo está caminhando para um futuro “civilizado.”

Bobagem.

Vide Trump, os decapitados nas prisões brasileiras, e mesmo a infernal realidade das ruas de nossas cidades, cada vez mais violentas e assassinas.

Hum!