Cidade

Equipamentos culturais ajudam a preservar a memória da Bahia

A cidade de Salvador oferece uma série de equipamentos que garantem a preservação e divulgação do patrimônio artístico e cultural da Bahia. Entre esses se destacam o Museu da Cidade, a Casa do Benin, o Arquivo Histórico Municipal e o Espaço Cultural da Barroquinha, aberto recentemente ao público. Todos os equipamentos são administrados pela Fundação Gregório de Mattos (FGM). O gerente de Museus e Bibliotecas do órgão, Elísio Brasileiro, diz que no momento a fundação investe em novos projetos que têm o objetivo de dinamizar ainda estes espaços.

Entre eles, alguns já estão em andamento na Casa do Benin. Aberta em 1988, depois de reforma executada pela arquiteta Lina Bo Bardi, que manteve as linhas externas do casario secular, mas modernizou os ambientes, o imóvel, também situado no Pelourinho, abriga uma rica coleção de objetos e obras de arte da região do Golfo do Benin, de onde veio a maioria dos negros que povoou o Recôncavo Baiano.

Grande parte do seu acervo foi colecionada pelo antropólogo e fotógrafo francês Pierre Verger em suas andanças pelo continente africano. A casa abriga também exposições temporárias e oficinas artísticas. Os interessados encontrarão no local uma biblioteca especializada em África e Cultura Afro-Brasileira. Pelo projeto da FGM, a Casa do Benin abrigará atividades de educação complementar para crianças e jovens de 11 a 14 anos, moradores da região do Centro Histórico. A primeira turma terá 40 alunos que receberão aulas de percussão. O espaço oferecerá ainda cursos de culinária de origem africana para a população da área. Mas o grande projeto para os moradores será a criação de uma indústria digital com cursos voltados para a produção de cinema e vídeo. De acordo com o gerente da FGM, os recursos já estão assegurados pelo Ministério da Cultura.

Outro importante equipamento cultural de Salvador é o Museu da Cidade. O casarão onde fica localizado integra o conjunto arquitetônico do Pelourinho, no Centro Histórico de Salvador. O espaço conta com uma vasta coleção de pintores baianos ou radicados na Bahia, como Presciliano Silva, Mendonça Filho, Carybé e Jenner Augusto. O acervo conta ainda com peças de cerâmica, esculturas em madeira e ferro e imagens religiosas. São destaques uma coleção de bonecas de pano, tradição do interior baiano, e um conjunto de orixás, com suas vestes tradicionais do candomblé.

Quem procura por documentos raros da história de Salvador pode contar com o acervo do Arquivo Histórico Municipal. Ele preserva um grande número de documentos, entre livros, cartas, mapas, registros, certidões, além de projetos arquitetônicos de ruas, praças e edifícios importantes da cidade. Entre as fontes de pesquisa e conhecimento históricos estão os documentos de compra e venda de escravos, atas da Câmara Municipal e decretos administrativos do período pré-abolicionista. Há ainda um acervo de partituras musicais raras, filmes antológicos realizados em diferentes épocas, fotografias e postais. O Arquivo Público Municipal fica na Rua J.J. Seabra, na Baixa dos Sapateiros.

Cultura é destaque na Barroquinha

Aberto este ano ao público, o Espaço Cultural da Barroquinha está instalado na antiga Igreja da Nossa Senhora da Barroquinha, construída em 1722. O local quase foi destruído por um incêndio em 1984 e se encontrava em um estado de grande degradação. Mas com o projeto desenvolvido pela FGM, o templo se tornará o mais novo centro cultural de Salvador. Depois de uma ampla reforma, o local passou a abrigar espetáculos de teatro, dança e música, que contam com uma estrutura que inclui área para apresentações, platéia para 135 expectadores, galeria de arte, memorial e café. O projeto, que surgiu no ano de 1992, é realizado em parceria com a Arquidiocese de Salvador e conta com o patrocínio da Petrobras.

A Biblioteca do Arquivo Histórico é especializada na cidade de Salvador, com informações que vão desde sua fundação até a atualidade. O acervo reúne livros, revistas e jornais de temas variados como história, costumes, bairros, arquitetura, cultura e turismo. Constam ainda publicações editadas pela Prefeitura e Câmara Municipal de Salvador e uma coleção do Diário Oficial do Município.