Helô Sampaio

Eita, que o Carnaval já tá ‘comendo no centro’. Quem foi o ‘mané’ que disse que o Carnaval vai acontecer em fevereiro? Até lá, já estamos na ressaca, porque desde a lavagem do Bonfim que a nossa terrinha vive no virar dose copos e no requebro dos quadris. Aqui, em Itapuã, todo dia tem um ‘auê’.

Já vieram aqui a minha queridíssima Daniela Mercury e o meu amado Armandinho Macedo, que fizeram belos shows na praia para nosso deleite. Eu, agora que estou mais ‘mocinha recatada’, fico de cá, balançando as ancas e aplaudindo os meus amigos queridos, por mais esse momento de glória.

Eu conversava com Gessy Gesse sobre as nossas ‘estrepolias’ de alguns anos atrás, quando, juntamente com Eliene, minha querida vizinha, resolvemos atuar mais na festa de Itapuã que começava a ‘esmorecer’. E incrementamos o ‘Pássaro do Abaeté’. Eu estava presidente do Sindicato dos Jornalistas quando, confabulando com Calasans Neto, pensamos num bloco que trouxesse jornalistas e seus amigos para a Lavagem.

Calá logo se animou e deu vida ao pássaro-lenda, produto da pesquisa da nossa linda e querida amiga Myriam Fraga. Segundo ela, a tribo dos índios Abaetés habitava a área. E só havia a luz do sol e a do luar. E a escuridão da noite, quando sem lua. Um bravo guerreiro então pede ao pagé para transformá-lo em pássaro, para que pudesse voar e pegar um raio de sol para iluminar as noites sem lua das dunas do Abaeté.

E o guerreiro foi bem sucedido: conseguiu chegar ao sol e trazer um raio para a terra. E assim fez-se a luz nas noites da terra. Só que, ao voltar à forma humana, o guerreiro tinha o corpo todo deformado, transfigurado. Estava horrendo pelas queimaduras do sol. Então ele pediu ao pagé para permanecer definitivamente como pássaro. É o japú, ou ‘japuaçu’ pássaro que habita as dunas do Abaeté, e é diferenciado por ter o bico e algumas penas vermelhas, consequência das queimaduras pelo raio de sol.

Assim, surgiu o nosso bloco, com desenhos de Calasans Neto: ‘A Lenda do Pássaro do Abaeté, Numa Manhã de Muito Sol’, que, segundo Rubinho dos Carnavais, é o bloco de nome mais comprido que ele conhece. Calá era o ilustrador permanente, criando a cada ano um ‘enredo’ do Pássaro com a Natureza. O bloco era ‘privativo’ dos jornalistas, artistas, biriteiros, moradores de Itapuã e seus amigos. E todos tocavam para o Pássaro desfilar: Margareth, André Macedo, Guilherme Arantes, Edu Casanova, Daniela, dentre muitos outros.

Desfilávamos na avenida animados pela banda de Magrão, e frequentemente com show da banda Cavern Beatles, pilotada por Tiago. Quer mais, véio? Então vem que sempre cabia mais um. O cortejo ia de Piatã até a Igreja de Itapuã, mas o Pássaro seguia seu vôo até o Hotel Catussaba, para a grande feijoada de confraternização, com a simpatia de Mariah e Darkson e mais show dos amigos artistas.

O Pássaro já estava com mais de 600 amigos participantes. E as camisas, com desenhos inéditos de Calasans, eram disputadas, mesmo depois da festa. Mas, ‘o tempo passa, o tempo voa’.

Comecei a ter problemas de locomoção e Calá ‘viajou’ para perto do sol. Sentei com Gessy e com Eliene, e decidimos que o Pássaro voltaria ao seu ‘habitat’, para a companhia de Oxum, no Abaeté. Mas que deixou muita saudade, deixou. Até hoje perguntam quando o Pássaro volta. Sabe Deus! Que foi um tempo animadíssimo, de muitas festas, muita alegria e animação, isso foi. Vida que anda!...

Outro dia, fui ao Baby Beef Alvarez, para um encontro com Edu Casanova e Osmar Marrom, meu ex-aluninho, que estão promovendo o Sarau do Carnaval, todas as quartas-feiras de janeiro. Passei momentos gostosos, com excelente música, atuais e de outros carnavais, ao som de Edu, Aline Rosa, Armandinho, e outros maravilhosos expoentes da nossa festa. Valeu, muito, estar neste evento. E me fez relembrar os bons tempos, a boa música, os bons carnavais.

Mas agora, vamos preparar esta deliciosa pizza de liquidificador, que não vamos ter tempo a perder na cozinha nestes dias de festa. Peguei a receita da minha amadíssima loura e amiga, Elibia Portela (elibiaportela@gmail.com). Eu achei prática para você, meu lindinho, achei que ia a-mar, pois o liquidificador é que vai ter todo trabalho. Veja aí.

Pizza de liquidificador de Elíbia

Ingredientes:

-- 1 ovo
-- 1 xícara (chá) de leite
-- 1 colher (chá) de sal
-- 1 colher (chá) de açúcar
-- 1 colher (sopa) de margarina
-- 1 ½ xícara (chá) de farinha de trigo
-- 1 colher (sobremesa) de fermento em pó
--  ½ lata de molho de tomate.

Sugestão de recheio
250g de mussarela ralada grossa, dois tomates-cereja fatiados, azeitona picada e orégano a gosto.

Modo de preparar:

Bater no liquidificador o leite, ovo, sal, açúcar, margarina, farinha de trigo e o fermento em pó, até que fique tudo misturado.

Despejar numa assadeira para pizza, untada com margarina, e levar ao forno pré-aquecido por cerca de 20 minutos.etirar do forno, espalhar o molho de tomate, cobrir com a mussarela ralada, tomatinhos cereja e orégano.

Levar novamente ao forno até derreter a mussarela.

Saborear antes de sair para o remelexo na praça com o amorzinho que arranjou ontem. Nos vemos na praça. Fui!!!

Colunas anteriores
Ver mais notícias desta seção: mais recentes · mais antigas