DESATIVADO / Esportes

Vitória (foi para matar do coração) tem ajuda da Chape e fica na Série A

O Rubro-Negro baiano perdeu para o Flamengo, no Barradão

Foto: Romildo de Jesus
O Vitória jogou bem e não merecia ir para a Série B
O Vitória jogou bem e não merecia ir para a Série B

Foi mesmo para matar do coração. O Vitória só dependia dele para ganrantir sua permanência na Série A do Campeonato Brasileiro. Bastaria vencer o Flamengo neste domingo (3/12), no Estádio Barradão, em Salvador.

Fez 1 a 0, cedeu o empate, e no último lance da partida Uillian Corrêia cometeu um pênalti infantil. Diego cobrou e fez o gol que rebaixava o Vitória. 

Menos de um minuto depois, no entanto, a Chapecoense fez 2 a 1 em cima do Coritiba e trouxe o Vitória de novo para a Série A. "Vamos, vamos, Chape", gritava o torcedor Rubro-Negro no Barradão, aliviado.

Em Pernambuco, o Sport vencia o Corinthians por 1 a 0, e o Avaí empatava por 1 a 1 com o Santos.

Foi mesmo por muito pouco

O Flamengo decidiu não contar com a Copa Sul-Americana, buscou a virada por 2 a 1 sobre o Vitória na tarde deste domingo, pela 38ª rodada do Brasileirão, e se garantiu na Libertadores. Apesar de ter colocado o time baiano em risco, a derrota não rebaixa o Vitória, já que o Coritiba perdeu seu jogo.

Com os resultados, o Flamengo fica em sexto, com 56 pontos ganhos, na zona da fase de grupos da Libertadores. Já o Vitória termina em 16º, com 43 pontos, empatado com o Coritiba, mas se mantém fora da zona devido ao saldo de gols.


Foi sofrido, mas o torcedor sorriu no fim - Foto: Romildo de Jesus

Foram rebaixados o Coritiba, o Avaí, a Ponte Preta e o Atlético GO.

Como foi o jogo

foi o Vitória quem iniciou melhor. Precisando ganhar para não depender de outros resultados, a equipe do técnico Vagner Mancini tocava a bola sem pressa e controlava o ritmo do jogo. Parecia não sentir os inúmeros desfalques - Wallace, Geferson e Tréllez, suspensos, e David, lesionado - que levaram o treinador a escalar atletas menos utilizados como Thallyson, Carlos Eduardo e Danilinho.

A equipe baiana, contudo, tinha dificuldades para criar. Pressionava sem objetividade e via a sua notória incapacidade de se impor em casa atrapalhar novamente. E, assim, mesmo sem brilho, o Flamengo quase abriu o placar aos 15 minutos, quando Trauco cruzou rasteiro e Felipe Vizeu desviou para fora.

Se o atacante errava, César se destacava novamente. Na primeira boa chegada do Vitória, aos 19 minutos, Patric recebeu de Kieza quase na pequena área e finalizou rasteiro, cruzado, para excelente defesa do goleiro. Já Felipe Vizeu teve chance de se redimir pouco depois ao receber de Éverton Ribeiro e invadir a área sem marcação. Mas, novamente, errou o alvo.

As chances desperdiçadas fariam muita falta ao Flamengo. Aos 39 minutos, após Rafael Vaz afastar mal, Carlos Eduardo recebeu dentro da área, ajeitou para a esquerda e bateu no canto, colocado, sem chance para César. Ex-jogador do time carioca e principal aposta de Vagner Mancini para o duelo, o meia-atacante chorou após o gol.

Em desvantagem, dependendo de outros resultados para se classificar à Libertadores, o Flamengo pouco mudou sua postura no segundo tempo. Lucas Paquetá quase não aparecia, Éverton Ribeiro carecia de efetividade e a armação do time não funcionava. Um chute da intermediária de Diego foi a única chegada da equipe nos 25 primeiros minutos.

Quando parecia que o Vitória ganharia com certa tranquilidade, o Flamengo chegou ao empate: Vinicius Junior, que entrara no lugar de Lucas Paquetá, fez boa jogada e cruzou rasteiro para William Arão, com calma, ajeitar para Rafael Vaz. Dentro da área e contando com o desvio na zaga, o zagueiro chutou e acertou o ângulo.

O Vitória até ameaçou pressionar após sofrer o gol aos 29 minutos e desperdiçou duas boas oportunidades. Ainda assim, assegurava a sua permanência até os 49, quando Diego bateu falta, Uillian Correia desviou com a mão e o árbitro marcou pênalti. Na cobrança, o meia bateu com tranquilidade e garantiu o Flamengo na Libertadores. E, no mesmo instante, a Chapecoense fez o segundo gol, virou sobre o Coritiba, rebaixou o adversário e milagrosamente assegurou a permanência do time baiano.


A torcida gritou no fim: "Vamos, vamos, Chape" - Foto: Romildo de Jesus

Ficha do jogo

VITÓRIA - Fernando Miguel; Patric, Kanu, Ramon e Thallyson; José Welison, Uillian Correia, Yago (Neilton), Carlos Eduardo (André Lima) e Danilinho; Kieza (Caíque Sá). Técnico: Vagner Mancini.

FLAMENGO - César; Pará, Léo Duarte, Rafael Vaz e Trauco; Cuellar (Geuvânio), William Arão, Éverton Ribeiro, Diego e Lucas Paquetá (Vinicius Junior); Felipe Vizeu (Lincoln). Técnico: Reinaldo Rueda.

GOLS - Carlos Eduardo, aos 39 minutos do primeiro tempo; Rafael Vaz, aos 29, e Diego (pênalti), aos 50 minutos do segundo tempo

CARTÕES AMARELOS - André Lima e Uillian Correia (Vitória); Diego e Lincoln (Flamengo).

CARTÃO VERMELHO - Caíque Sá (Vitória).
ÁRBITRO - Dewson Fernando Freitas da Silva (Fifa/PA).
RENDA - R$ 444.964.
PÚBLICO - 29.008 pagantes.
LOCAL - Estádio Barradão, em Salvador (BA).