Karina Nery

Karina in Köln - Coluna de 12/11/2017

Eu que nem ligo pro BAVI fui torcer pro Leverkusen

Nunca fui a um estádio e não ligo muito para futebol. Minha opinião é a mesma que tenho de games: acho massa quem joga (ou assiste), mas não gosto de jogar (ou assistir). Vou, com vontade, para qualquer feira de games e até curto Copa do Mundo em família, mas não sou de torcer.

Por falar em família, na minha tem alguns fãs, tem a rixa Bahia x Vitória, tem a galera que joga, que tem carteirinha do clube, tem os frequentadores assíduos... Mas futebol é uma cultura passada de pai (ou mãe) para filho (a) e o meu não passou pra mim (kein problem, as pessoas são mesmo diferentes) e Beto não está passando para Ícaro (porque a cultura esportiva daqui de casa é o skate). O que não significa que Ícaro não possa se interessar por futebol. Eu acho até que ele gosta muito e joga bem!

Dito isso, conto a vocês que a minha amiga Debbie, torcedora assídua do Bayer Leverkusen, me convidou para um jogo importante ontem: Bayer Leverkusen X FC Köln.

Ela e o marido são fãs de carteirinha e vão para todos os jogos. Mas, ontem, Daniel estava de plantão e não pôde ir. Então, não pensei duas vezes: aceitei o convite e ainda pedi emprestado um adereço do time. Que, nessa época do ano, são gorros e cachecóis. Se é para ter a experiência, que ela seja completa.

Então, nos encontramos na estação principal, colocamos os cachecóis do Leverkusen e fomos ouvindo um ou dois "desaforos" dos torcedores do FC Köln, ou KFC (referência à "Kentucky Fried Chicken"), como sempre confundo... Mas havia mais polícia que torcedor. O que não nos deixava mais tranquilas. Dava uma sensação estranha de que alguma coisa podia acontecer.... E pode, né?

A galera é meio fanática, toma todas... É meio receita pra confusão.... Aqui ou em qualquer lugar do mundo! Tanto é que, no final, não usamos os cachecóis. Ainda mais porque ganhamos!

Quando chegamos em nossos lugares, havia um aviso e um rolo de papel preto (1m x 1m). Parte do estádio estava com uma lona preta enorme. E eu, sem saber nada de futebol, e muito menos desse jogo, achava que era algum tipo de luto...

Mas eram as cores do Bayer Leverkusen! Preto, vermelho e branco! E o aviso explicava que devíamos levantar nosso papel preto, na hora certa, com braços bem esticados e com muita vontade! Para isso devíamos esquecer os celulares e não tirar fotos, para ficar um painel muito bonito. 

Ainda bem que eu não entendi direito o que dizia o aviso e pude tirar minhas fotos... Mas consegui fazer isso sem largar meu papel preto, ou estragar o painel.

Mais legal do que o jogo (muuuito mais legal) foi a torcida organizada. Que divertido! Como o jogo foi "na casa" do Leverkusen e contra o seu arqui-inimigo, o "KFC", antes do jogo fizeram uma provocação com a música dos Ghostbusters e um painel de "Goatbusters". É que o "goat" é o símbolo do FC Köln. Também cantaram seu hino, que eu achei no estilo das músicas que você ouve no carnaval de Colônia.


Levantamos os papéis na hora certa

E tem os caras que se zangam de verdade. Dá vontade de rir, mas me segurei... Ganhamos por 2 x 1. Ganhamos é ótimo, né? Mas, como eu disse, "se é para ter a experiência, que ela seja completa", então, hoje, o time também era meu. Ah! E sabiam que tem um brasileiro? Wendell Nascimento Borges, de Fortaleza.

Bem, eu e Debbie chegamos vivas em casa. Mas não sem antes ver algumas ações da polícia. Estávamos esperando nosso trem, quando um policial agarrou um senhor que estava passando por ele. Ele o viu a uma certa distância, puxou-o pelo braço e começou um interrogatório. Minha história termina aí, porque do interrogatório eu não entendi foi nada... Mas fiquei meio impressionada, porque o policial parecia saber extamente quem era o cara...

E, no exato momento em que íamos entrar no trem, um carinha, que entrava junto com a gente, cuspiu em outro do lado de fora. Debbie gritou junto com a galera "Polizei" e, no mesmo segundo, já tinha polícia prendendo os caras...

Ufa! Finalmente no trem, que demorou um pouco para sair, fazendo com que seu motorista desse uma pequena explicação do atraso, culpando os "Fußballfans". Como eu e Debbie já estávamos sentadas, sem os nossos cachecóis, era como se nada tivesse acontecido e estivéssemos voltando de alguma viagem para Köln. A reclamação do motorista não tinha nada a ver com a gente...

A equipe do Bayer Leverkusen tem uma grande rivalidade com o Colônia, com quem protagoniza o dérbi do Rio Reno (confronto futebolístico de grande rivalidade, sendo que, mais frequentemente, realizado por duas entidades desportivas locais), pois as duas cidades (Leverkusen e Colônia), estão localizadas às margens do Rio Reno. Ambas as torcidas dizem ter o "poder do Reno".